Governo da Madeira oficializa contrato de concessão da praça financeira

  • Lusa
  • 6 Fevereiro 2017

A SDM irá manter a concessão que já detinha, tendo para o efeito o Governo acordado, de mútuo acordo com a concessionária, revogar o anterior contrato que terminava em 2017.

O executivo madeirense publicou esta segunda-feira no Jornal Oficial da Região uma resolução que formaliza a adjudicação da “concessão do serviço público” do Centro Internacional de Negócios (CINM) à mesma sociedade que já detinha a sua exploração. A Sociedade de Desenvolvimento da Madeira mantém a concessão.

Esta nova concessão será por dez anos com o executivo madeirense a “definir que as instalações, infraestruturas e equipamentos afetos à Zona Franca Industrial manter-se-ão, para todos os efeitos, na posse da concessionária SDM sem dependência de quaisquer formalidades, a fim de assegurar o funcionamento e desenvolvimento contínuos do CINM e nos termos do novo contrato de concessão”.

Este novo contrato faz com que a região fique com uma participação de 49%, valor que no anterior era de apenas 25%, ficando os privados com a maioria do capital (51%). A 10 de novembro de 2016, o plenário do Governo insular autorizou a Secretaria Regional das Finanças e da Administração Pública a iniciar o concurso de contratação para a concessão de serviço público do CINM.

O secretário regional das Finanças, na altura, complementou que a alteração da concessão ocorreria por “processo concursal por convite à atual concessionária, dentro da transparência”. Esta oficialização do contrato ocorreu na última reunião do Conselho de Governo, de dia 2 de fevereiro de 2017, apesar de não ter sido tornada pública nas resoluções finais.

O CINM gerou, em 2016, 191 milhões de euros de impostos para os cofres regionais de acordo com dados fornecidos pelo presidente do executivo regional. O CINM foi criado na década de 1980 com o objetivo de atrair investimento externo e diversificar e modernizar a base produtiva e económica da Madeira.

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

Governo da Madeira oficializa contrato de concessão da praça financeira

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião