BPI fica em bolsa, mas com muito menos liquidez

Os tombos do maiores bancos portugueses levaram o PSI-20 a fechar em queda pela terceira sessão consecutiva.

No dia em que foram conhecidos os resultados da oferta pública de aquisição (OPA) lançada pelo CaixaBank ao BPI, o banco português afundou em bolsa. Os catalães ficaram com 84,52% do BPI e vão mantê-lo em bolsa, mas com muito menos liquidez, já que a quase totalidade dos títulos passa a ser detida por um só acionista. Ainda na banca, na véspera de colocar em bolsa 14 mil milhões de novas ações, o BCP também tombou 7%.

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

BPI fica em bolsa, mas com muito menos liquidez

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião