A magia da rádio é uma ciência

Não há truques na rádio portuguesa. A ciência substituiu a magia em nome da maximização da audiência e do negócio. No Dia Mundial da Rádio, o ECO foi ver como se elabora a lista de músicas da M80.

Na M80, a playlist de músicas é composta apenas por 750 músicas e mudanças só são permitidas anualmente após uma experiência junto dos ouvintes. “Consegue-se um bom equilíbrio entre diversidade e repetição”, explica Miguel Cruz, diretor de programação daquela estação. “São dois fatores importantes para garantir a fidelização da audiência”, assegura. Em Dia Mundial da Rádio, falar da sua magia tornou-se um lugar-comum. Há mais ciência na seleção dos hits do que se pensa.

Método e experiência fazem parte do processo de seleção de canções de qualquer estação de rádio nos dias que correm. Por que razão a RFM ou a Rádio Comercial repetem tantas vezes a “La Bicicleta” da Shakira e Carlos Vives no mesmo dia? Tocar o êxito do momento várias vezes ao dia é uma forma de garantir o máximo de ouvidos possíveis colados à sua estação. No fim do dia, é a guerra de audiências que vai determinar o preço dos espaços publicitários e as receitas da empresa.

A M80 é detida pelo grupo Media Capital, que tem também no seu portfólio a Rádio Comercial, CidadeFM, SmoothFM e Cotonete. A rádio é um negócio importante para o grupo. Até setembro de 2016, só estas cinco rádios tinham faturado 12,66 milhões de euros, um aumento de 5% face ao mesmo período do ano passado e correspondendo a cerca de 10% das receitas totais.

"A playlist da M80 é constituída por cerca de 750 músicas. Com este número consegue-se um bom equilíbrio entre diversidade e repetição, dois fatores importante para garantir a fidelização da audiência.”

Miguel Cruz

Diretor de programação da M80

Por isso, todo o cuidado de Miguel Cruz na elaboração da playlist da M80 é pouco. Tratando-se de uma estação que apenas passa música editada entre 1970 e 2010, uma lista composta por apenas 750 canções torna mais provável que a mesma seja tocada no mesmo dia. Mas não é isso que acontece.

“O controlo da programação musical da estação é assegurado por um software especializado, que garante o cumprimento de todas as regras necessárias a uma programação otimizada“, diz o responsável da M80.

Um dos clássicos que faz sucesso na M80 é o “I want to break free” do grupo britânico Queen. Percebe-se. Representa a música da vida de muitas pessoas, como diz o lema desta estação. Outras canções há que passam sistematicamente há 10 anos, desde o início do projeto. São sucessos que resistiram ao tempo e às mudanças que os responsáveis da M80 operam na playlist todos os anos. Como são escolhidas novas canções para integrar a lista?

"Uma curiosidade que normalmente surpreende quem não trabalha no meio Rádio é o facto de testarmos anualmente junto de uma amostra credível do auditório potencial da estação toda a música que tocamos. Na playlist da M80 só entram os temas que sabemos que o auditório mais quer ouvir. As canções que não cumprem os nossos apertados critérios de exigência ficam de fora.”

Miguel Cruz

Diretor de programação da M80

“Depende do seu grau de agradabilidade junto do público”, diz Miguel Cruz. “Testamos anualmente junto de uma amostra credível do auditório potencial da estação toda a música que tocamos. Só entram os temas que sabemos que o auditório mais quer ouvir. E um dos temas que melhor testa desde sempre é o “I Want To Break Free” dos Queen”, precisa o diretor de programação da M80.

Ao contrário, uma canção que não cumpra os requisitos e não passe no teste salta fora da lista. Simplesmente, a música deixa de ter o interesse do público da M80 que, para evitar que o ouvinte sintonize outra estação, a substitui por outra mais bem-sucedida.

Ou seja, não há truques na rádio portuguesa. A magia da rádio é uma ciência.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

A magia da rádio é uma ciência

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião