Costa: “Ignoro quais são as despesas pagas pela CGD”

  • Margarida Peixoto
  • 22 Fevereiro 2017

O primeiro-ministro garantiu que desconhece se a Caixa Geral de Depósitos pagou serviços de advocacia e consultoria de António Domingues, ainda antes de este ter assumido a liderança do banco público.

O primeiro-ministro garantiu esta quarta-feira que desconhece se a Caixa Geral de Depósitos pagou os serviços de advocacia e consultadoria do escritório de advogados que assessorava António Domingues, ainda antes de o gestor ter assumido a liderança do banco público. “Este não é um banco do Governo, é um banco do Estado”, justificou António Costa.

No debate quinzenal, que decorre esta quarta-feira na Assembleia da República, o líder do PSD, Pedro Passos Coelho, quis obter uma confirmação do Governo de que a Caixa pagou os serviços dos escritórios de advogados que apoiavam António Domingues, conforme foi noticiado esta semana pelo ECO.

Contudo, o primeiro-ministro garantiu desconhecer o caso, argumentando que o Executivo não interfere, “nem interferirá na gestão do dia-a-dia” do banco público.

Sobre a polémica da Caixa, António Costa recorreu ao acórdão do Tribunal Constitucional para defender que o Governo não tinha intenção de isentar os administradores da CGD da apresentação das declarações de rendimento e património. O acórdão, os juízes decidem que o decreto-lei do Governo não dispensa os gestores da entrega das declarações e não identifica qualquer indício de que esse tenha sido o objetivo.

“De cada vez que fala, vai-se contradizendo e isso só gera desconfiança. Se tivesse dito com clareza desde o início o problema não se tinha posto”, respondeu Pedro Passos Coelho, acusando o Governo e a maioria que o apoia no Parlamento — PS, BE e PCP — de bloquear o apuramento da verdade.

Mas para António Costa este é “o grau zero da política” e não passa de uma vontade de “bisbilhotar SMS privados”, criticou o primeiro-ministro.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Costa: “Ignoro quais são as despesas pagas pela CGD”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião