Governo dá nova nega a Carlos Costa

Mais um bloqueio do Governo ao Governador do banco central: Carlos Costa reforçou uma das suas indicações para a administração da instituição que lidera, mas Centeno disse novamente que não.

O Governador do Banco de Portugal insistiu no nome de Rui Carvalho para ser promovido à administração do Banco de Portugal, mas Mário Centeno voltou a dizer que não. Segundo o Público, o Executivo voltou a dar uma nega ao atual diretor do departamento de mercado do BdP. O jornal diário explica que o perfil de Rui Carvalho é considerado inadequado para a nova dinâmica do supervisor na visão do Governo.

Em causa está uma batalha entre a instituição liderada por Carlos Costa e António Costa, cimentada pelas novas revelações de uma investigação da SIC, que suscitaram várias críticas dos socialistas. Tanto que o Partido Socialista já admitiu que poderá chamar o supervisor à Assembleia da República novamente por causa da gestão do caso BES/GES.

Anteriormente já tinham existido dificuldades na negociação dos novos nomes para os altos cargos do BdP. O ministro das Finanças pediu outra mulher no conselho de administração do Banco de Portugal, que atualmente só conta com a ex-eurodeputada socialista Elisa Ferreira. Para preencher a quota de género que está a impor aos bancos, o Governador acabou por aceder ao pedido do Governo, nomeando Ana Paula Serra, vogal do conselho de autoria do supervisor.

Além da professora de economia na Faculdade do Porto, o PS também quer José Cadete de Matos e Luís Laginha de Sousa. E, segundo o Público, ainda existiria lugar — segundo o limite da legislação em vigor — para Rui Carvalho, mas o Ministério das Finanças considera que não há necessidade dado que o BdP tem vindo a perda certos poderes de supervisão em detrimento de uma atenção mais atenta do Banco Central Europeu liderado por Mario Draghi.

Apesar das notícias desta semana, nenhum nome foi aprovado esta quinta-feira no Conselho de Ministros, segundo o comunicado revelado pelo Governo.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Governo dá nova nega a Carlos Costa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião