Combustíveis mais baratos retiram força à inflação

  • Lusa
  • 12 Abril 2017

Desaceleração dos preços dos combustíveis faz recuar inflação em Portugal em março. Inflação subjacente, que exclui preços dos alimentos e energia, ficou nos 0,6%, abaixo de meta de 2% do BCE.

O Índice de Preços no Consumidor (IPC) desceu de 1,6% em fevereiro para 1,4% em março de 2017, refletindo sobretudo a desaceleração dos preços dos combustíveis, divulgou hoje o INE.

De acordo com o Instituto Nacional de Estatística (INE), o indicador de inflação subjacente (índice total excluindo produtos alimentares não transformados e energéticos) registou uma variação homóloga de 0,6%, taxa idêntica à do mês anterior.

A variação mensal do IPC, por sua vez, foi 1,8% (-0,2% no mês anterior e 1,9% em março de 2016), enquanto a variação média dos últimos 12 meses registou uma taxa de 0,8%, valor superior em 0,1 pontos percentuais ao registado no mês anterior.

O Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) português registou uma variação homóloga de 1,4%, valor inferior em 0,2 pontos percentuais ao verificado no mês anterior e inferior em 0,1 pontos percentuais ao estimado pelo Eurostat para a área do euro (em fevereiro a taxa variação homóloga do IHPC português foi 0,4 pontos percentuais inferior à do IHPC da área do euro).

O IHPC registou uma variação mensal de 2,0% (-0,2% no mês anterior e 2,2% em março de 2016) e a taxa de variação média dos últimos 12 meses foi 0,9% (valor superior em 0,1 pontos percentuais ao registado no mês anterior).

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Combustíveis mais baratos retiram força à inflação

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião