Chineses da TAP tornam-se maiores acionistas do Deutsche Bank

  • Rita Atalaia
  • 3 Maio 2017

A HNA Group aumentou a sua participação para perto de 10% no banco alemão. Um reforço que já tinha sido sinalizado no início do ano. O acionista chinês da TAP torna-se assim no maior acionista.

A HNA Group, o acionista chinês da TAP, tornou-se o maior acionista do Deutsche Bank. Elevou a participação para quase 10%, ultrapassando mesmo os norte-americanos da BlackRock. Este reforço de posição num dos maiores bancos alemães por parte da HNA acontece depois de o Deutsche Bank ter realizado um aumento de capital de oito mil milhões de euros e abandonado o plano de alienar o Postbank.

Foi em fevereiro que o conglomerado chinês HNA Group reportou uma participação de 3% no banco alemão. Mas, já na altura, o grupo disse que poderia aumentar ainda mais a posição no Deutsche Bank, apesar de querer continuar abaixo dos 10%. Agora aproximou-se dessa fasquia: aumentou para os 9,92%, de acordo com a Bloomberg.

Este aumento faz com que os chineses se tornem no maior acionista da instituição financeira germânica. O grupo fica mesmo à frente da BlackRock, que detém uma participação de 5,9% na instituição financeira. Um investimento que se junta aos 30 mil milhões que a HNA Group já gastou no ano passado em operações. No caso do Deutsche Bank, os direitos de voto do acionista chinês da TAP são formalmente detidos por um veículo criado pelo gestor de ativos austríaco C-Quadrat Investment.

Contactado pela Bloomberg, o porta-voz do Deutsche Bank não quis comentar. As ações do banco também não estão a reagir de forma expressiva às notícias, recuando 0,24% para 16,64 euros.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Chineses da TAP tornam-se maiores acionistas do Deutsche Bank

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião