Supercarros aceleram resultados da Ferrari

Ações da Ferrari disparam 4% depois da marca de luxo ter apresentado indicadores de rentabilidade pouco comuns no setor e que compara com Apple e a icónica Hermes.

As ações da Ferrari disparam esta quinta-feira em Wall Street depois dos bons resultados apresentados pela fabricante de automóveis de luxo, com os LaFerrari Aperta que custam 2,1 milhões de dólares.

A fabricante italiana entrou no radar dos investidores após ter revelado indicadores de rentabilidade que só muitas poucas marcas conseguem alcançar atualmente. A Ferrari registou uma subida do lucro ajustado antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (EBITDA ajustado) para 29,5% no primeiro trimestre do ano. Isto compara com a margem de lucro da Apple de 31,6% e da icónica marca de luxo Hermes de 36,5%.

Em bolsa, os títulos da marca de automóveis de luxo carregam no acelerador com um disparo de 4,16% para 79,18 dólares.

Ferrari acelera em bolsa

Fonte: Bloomberg (valores em dólares)

“Estas margens de lucro mostra como a Ferrari pesca no mesmo mercado de marcas de luxo”, referiu Massimo Vecchio, analista da Mediobanca, citado pela Bloomberg. “Simplesmente usa os seus carros como isco”, comentou ainda.

"Estas margens de lucro mostra como a Ferrari pesca no mesmo mercado de marcas de luxo. Simplesmente usa os seus carros como isco.”

Massimo Vecchio

Analista da Mediobanca

As vendas da Ferrari de modelos de topo equipados com os motores V12 disparam 50% nos três primeiros meses do ano, impulsionados pelo LaFerrari Aperta, cujas unidades esgotaram mesmo antes da sua estreia pública oficial, mas também pelo GTC4Lusso de 300 mil dólares e do F12tdf de 380 mil dólares.

Contas feitas, as receitas do Cavallino rampante aumentaram 22% para 821 milhões de euros. O EBITDA ajustado aumentou 36% 242 milhões de euros. Em 2017, o EBITDA ajustado deverá crescer para mais de 950 milhões de euros.

Para impulsionar este crescimento, a Ferrari revelou em março o seu novo 812 Superfast, o carro mais rápido da história da marca italiana.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Supercarros aceleram resultados da Ferrari

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião