Na Austrália os vícios saem (bem) caros. E em Lisboa?

  • Juliana Nogueira Santos
  • 6 Maio 2017

Na Austrália fica caro alimentar os maus hábitos. Um pacote de cigarros pode chegar aos 19 euros. O mesmo não acontece com a cerveja em Lisboa...

Se a sua lista de vícios contém uma caneca fresca de cerveja e tabaco, a Austrália não é um bom país para visitar. Dois pacotes de cigarros e algumas cervejas podem atingir 68 euros em Melbourne e 59 euros em Sidney. As contas são do “Índice de Maus Hábitos” elaborado anualmente pelo Deutsche Bank.

Mas engana-se se pensa que esta é só uma regra do outro lado no mundo. Em Oslo, na Noruega, este pacote de produtos comporta exatamente o mesmo custo que em Melbourne, ou seja, os 68 euros. No nosso país, representado no índice através de Lisboa, a fatura fica nos 18 dólares.

Individualmente, um pacote de cigarros da marca mais popular, custa cerca de 19 euros em Melbourne e 17 euros em Sidney. No país vizinho, a Nova Zelândia, os preços também não ficam atrás com o mesmo pacote a custar entre 14 e 15 euros.

A ocupar o pódio dos sítios mais baratos para alimentar os maus hábitos, está Joanesburgo, Praga e Manila onde o pack cervejas e tabaco custa pouco mais de 13 euros.

Cerveja barata? É em Lisboa, claro

Se Lisboa é, por estes dias, a cidade predileta dos turistas, não será apenas pelo bom tempo e pela boa comida. Entre 47 cidades, Lisboa destaca-se no que toca ao preço da cerveja. Segundo o relatório do Deutsche Bank, meio litro de cerveja num bar do centro da cidade custa 1,81 euros, o que faz da capital portuguesa a terceira cidade com a cerveja mais barata desta análise.

Lisboa só é ultrapassada por Joanesburgo, com meio litro de cerveja a 1,55 euros e Praga, com o mesmo por 1,18 euros. No polo oposto da lista, uma caneca de cerveja em Oslo, a cidade europeia onde os vícios saem mais caros, custa 9 euros.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Na Austrália os vícios saem (bem) caros. E em Lisboa?

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião