Academia de Comércio, a nova aceleradora de Lisboa

Parceria entre Câmara Municipal, SBI Consulting e Startup Lisboa tem como objetivo acelerar ideias de negócio de comércio ou negócios com menos de um ano.

Candidaturas estão abertas até 31 de maio.Pixabay

Lisboa tem agora uma aceleradora de negócios de comércio. Até 31 de maio estão abertas as candidaturas para o programa de aceleração de estreia da Academia de Comércio, uma parceria entre a Câmara Municipal de Lisboa, a SBI Consulting e a Startup Lisboa. Lojas, restaurantes e outras ideias de negócio ou negócios criados há menos de um ano podem candidatar-se ao programa de aceleração que tem como objetivo “apoiar pessoas com ideias de negócio inovadoras, que prometam dinamizar o comércio em Lisboa“, avança a organização em comunicado.

O projeto foi desenvolvido por Marta Miraldes, managing partner da SBI Consulting quando, ao caminhar pela baixa lisboeta, percebeu que pessoas e lojas que sempre foram referências não se mantinham por não conseguirem acompanhar os desafios atuais. “Por outro lado, havia um outro grupo de pessoas com know-how sobe o futuro do retalho e com ideias inovadoras, mas que não conheciam as especificidades deste tipo de comércio de rua”, refere Marta.

Entre as candidaturas serão selecionados 20 projetos, sendo favorecidos aqueles que tenham a ambição de fazer não apenas comércio de rua como também online. O programa decorre em 20 dias intercalados, entre 6 de junho e 13 de julho, e vai preparar as ideias para os riscos de arranque do negócio. A primeira edição da Academia de Comércio vai ainda, num segundo eixo, trabalhar com comerciantes do Beato, no sentido de os preparar para o impacto da instalação do novo hub criativo.

As candidaturas podem ser feitas aqui.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Academia de Comércio, a nova aceleradora de Lisboa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião