FESAP quer aumentos de 2,5% em salários e pensões em 2018

  • Lusa
  • 25 Maio 2017

O sindicato estima que nos últimos dez anos os funcionários públicos perderam 20% dos seus rendimentos, e "não aceitarão mais congelamentos de salários e mais degradação das suas remunerações".

A Federação dos Sindicatos da Administração Pública (FESAP), afeta à UGT, exigiu hoje que os salários dos trabalhadores da administração pública sejam aumentados em 2,5% em 2018.

Este aumento nominal dos salários mas também das pensões foi hoje aprovado por unanimidade na assembleia-geral da FESAP, que se realizou em Lisboa, e que juntou cerca de 30 sindicatos.

Em conferência de imprensa, após a reunião magna, o secretário-geral da FESAP, José Abraão, considerou que os trabalhadores da administração pública “não aceitarão mais congelamentos de salários e mais degradação das suas remunerações”, estimando que nos últimos dez anos estes trabalhadores perderam 20% dos seus rendimentos.

Questionado sobre se há margem para negociar esta exigência com o Governo, José Abraão afirmou que a FESAP está sempre disponível para negociar, mas vincou a necessidade de haver um entendimento que pare a penalização que os funcionários públicos sofreram nos últimos anos.

O dirigente sindical vincou ainda a necessidade de o Governo descongelar carreiras, considerando que há “milhares de trabalhadores para progredir” e alguns “que nunca progrediram”.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

FESAP quer aumentos de 2,5% em salários e pensões em 2018

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião