Segundo trimestre acima de 3%. Mário Centeno tem uma bola de cristal?

  • Margarida Peixoto
  • 25 Maio 2017

O segundo trimestre vai a meio. Mas Mário Centeno já prevê um crescimento acima de 3% entre abril e junho. O ministro das Finanças tem uma bola de cristal?

Mário Centeno, ministro das Finanças, já está a contar com um crescimento acima de 2% em 2017. Ainda faltam 37 dias para o segundo trimestre de 2017 terminar. O Instituto Nacional de Estatística (INE) só se vai atrever a fazer uma estimativa preliminar sobre o crescimento económico do segundo trimestre a 14 de agosto. Mas esta quarta-feira, o ministro das Finanças disse à Reuters que já está à espera que o PIB avance “mais de 3%”. Mário Centeno tem uma bola de cristal? Ou está a atirar-se para fora de pé?

Com menos de metade do trimestre ainda por decorrer, os indicadores de mais curto prazo sobre o andamento económico são escassos. Mas Mário Centeno disse à Reuters que, em termos homólogos, o segundo semestre irá registar um crescimento de “mais de 3%, dada a aceleração que estamos a observar.”

É certo que o INE diz que o indicador de clima económico, já disponível até abril, aumentou. E que o Banco de Portugal acrescenta que o indicador coincidente, que serve precisamente para medir o ritmo da atividade económica, arrancou o segundo trimestre ao nível mais elevado dos últimos dez anos: aumentou 2,5%, uma subida considerável. Mas há pouco mais sobre os meses entre abril e junho. Desde logo, porque maio ainda não terminou e junho ainda nem começou.

Assim sendo, faz sentido que o ministro esteja já a prever um ritmo tão acelerado para o crescimento português? “Faz”, responde Rui Constantino, economista-chefe do Santander. “Sim”, corrobora Filipe Garcia, economista do IMF – Informação de Mercados Financeiros. E não é porque o ministro saiba prever o futuro, mas antes porque os indicadores avançados e a matemática assim o indicam. Mais: Rui Constantino adianta ao ECO que o próprio Santander também está a apontar para um crescimento em torno de 3%.

Porquê?

Desde logo, porque o crescimento do primeiro trimestre foi muito forte e porque o período comparável de 2016 foi fraco. “Basta crescer acima de 0,2% em cadeia, para que o crescimento homólogo fique em torno de 3%”, garante o economista. Rui Constantino explica que uma forma de antever o crescimento homólogo de um determinado trimestre é somar ao valor do crescimento homólogo registado no período imediatamente anterior, o crescimento em cadeia esperado. Depois, subtrai-se o valor do crescimento em cadeia registado no período com o qual estamos a comparar.

No caso em análise, quer dizer que somamos a 2,8% — o crescimento homólogo do primeiro trimestre — o valor do crescimento trimestral esperado para o segundo trimestre. Depois, subtraímos 0,2 pontos percentuais, que foi o crescimento em cadeia do segundo trimestre de 2016.

Contas feitas, quer dizer que basta crescer mais de 0,2% entre abril e junho, face aos primeiros três meses deste ano, para que o crescimento homólogo do segundo trimestre de 2017 seja superior a 2,8% — logo, em torno de 3%.

"Mas já agora, vale a pena dizer que no segundo semestre o crescimento abrandará para valores em torno de 2,2%.”

Rui Constantino

Economista-chefe do Santander

Ora, os poucos indicadores que existem apontam para uma aceleração da atividade neste arranque de trimestre. “Normalmente, há uma boa aderência entre o PIB, os dados do comércio internacional, a produção industrial e o emprego”, diz Filipe Garcia. “Claro que ainda com junho por decorrer é uma previsão arriscada”, reconhece. E dá um exemplo: bastaria que o Porto de Sines paralisasse durante umas semanas, por qualquer razão, para que a projeção fique furada. Mas o que os dados existentes mostram “é que estamos numa trajetória de aceleração”, assegura o economista do IMF.

"Claro que ainda com junho por decorrer é uma previsão arriscada.”

Filipe Garcia

Economista do IMF - Informação de Mercados Financeiros

Além disso, lembra Rui Constantino, a Páscoa este ano foi em abril. “A Páscoa é o segundo mês mais forte de consumo privado do ano, a seguir ao Natal”, nota o economista. E em 2016 a Páscoa celebrou-se em março — por isso, o segundo trimestre deste ano vai contar com a ajuda deste efeito na base de comparação.

Do mesmo modo, o modelo de previsão utilizado pelo Santander para projetar o crescimento anual aponta para um segundo trimestre com este nível de atividade. “Mas já agora, vale a pena dizer que no segundo semestre o crescimento abrandará para valores em torno de 2,2%”, avisa Rui Constantino. É que a segunda metade de 2016 correu bem melhor do que a primeira, o que torna mais difícil crescer, em termos comparativos, como o ECO já explicou aqui.

Fotomontagem de Raquel Sá Martins

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Segundo trimestre acima de 3%. Mário Centeno tem uma bola de cristal?

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião