Pedrógão Grande: Passos suspende agenda de domingo

Presidente do PSD decidiu suspender agenda de domingo na sequência do incêndio de Perdigão Grande, que matou 19 pessoas.

O líder social-democrata, Pedro Passos Coelho, decidiu cancelar o evento de agenda que tinha marcado para este domingo, na sequência do incêndio deste sábado, em Pedrógão Grande, e que provocou a morte de pelo menos 19 pessoas.

Passos Coelho interrompeu a apresentação da candidatura autárquica do PSD à Câmara Municipal de Ansião, que decorria na noite deste sábado, para manifestar pesar em nome de todos os social-democratas pela perda de vidas durante o incêndio que ainda decorre em Pedrógão Grande.

“Queria, em nome de todos vós, manifestar, perante esta tragédia – porque é realmente uma tragédia – a nossa solidariedade, enviar a expressão do nosso luto também pela perda de vidas humanas. E, sobretudo, conforme o Fernando Marques [candidato pelo PSD à Câmara Municipal de Ansião] teve ocasião de o dizer aqui, dar também uma expressão muito sentida de solidariedade não apenas às famílias que perderam vidas, mas também aos bombeiros que estão a travar ainda uma luta muito forte para conter esta tragédia. É importante que isso se recorde ao longo de todo o ano e não apenas quando estas ocasiões ocorrem”, disse.

O líder do PSD sublinhou que “agora é o tempo de as autoridades atuarem“. “Não é o tempo dos políticos, é o tempo da Proteção Civil, que envolve os Bombeiros, os Comandos, as pessoas que têm responsabilidades no Governo e que têm de fazer intervenção seja ao nível central, seja ao nível local. E sabemos que há muitos concelhos envolvidos”, afirmou.

Num vídeo enviado às redações, Passos Coelho justificou ainda a suspensão das atividades programadas para domingo, em Proença-a-Nova, “uma vez que agora não é tempo de estarmos perante esta tragédia a desviar atenções para outras coisas. É preciso dar tempo para que as coisas possam regressar a alguma normalidade e é isso que eu espero que possa acontecer, sinceramente, tão rápido quanto possível.”

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Pedrógão Grande: Passos suspende agenda de domingo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião