Perguntas sem filtro aos gigantes do Web Summit? Já pode neste palco

  • Ana Batalha Oliveira
  • 20 Junho 2017

Os grandes nomes que vão falar na Web Summit estarão também no novo palco Q&A, uma estreia absoluta em Lisboa, no qual vão responder a todas as questões do público.

O Web Summit volta entre 6 a 9 de novembro a Lisboa, mas as novidades já estão a chegar. Os participantes do grande evento de tecnologia terão este ano a oportunidade de fazer as questões que quiserem, “sem filtros”, aos grandes oradores da conferência. Este espaço chama-se palco Q&A, e vai receber caras tão diversas como a comissária europeia Margrethe Vestager ou Sean Rad, o presidente e fundador do Tinder.

“Um dos palcos mais abertos e honestos de tecnologia”, é a apresentação que a organização faz do Palco Q&A na página e em comunicado. Um palco onde os oradores de destaque receberão questões dos participantes durante 30 minutos. Já foram anunciados quinze nomes que irão pisar este palco.

Da Comissão Europeia, falarão Carlos Moedas, comissário da Investigação, Ciência e Inovação e Margrethe Vestager, que tutela a Competição. CEOs, vêm Brian Krzanich, da Intel, Khosrowshahi da Expedia, Gillian Tans da booking.com, Pat Gelsinger da VMware e Steve Case, da Revolution. Mas muitos outros executivos e presidentes de marcas reconhecidas vão estar presentes, entre elas a Amazon.com, Uber, Google, IKEA, Microsoft e Tinder.

O Player One é outra das novidades — este palco dedica-se à indústria dos jogos digitais, uma indústria que já cresceu até aos 90 mil milhões. Agora são ainda lançados novos tipos de bilhetes, entre os quais quatro pacotes dirigidos a empresas.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Perguntas sem filtro aos gigantes do Web Summit? Já pode neste palco

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião