Autárquicas: campanha de Rui Moreira pelo Porto arranca a 1 de julho

  • Lusa
  • 25 Junho 2017

Rui Moreia, presidente da Câmara do Porto, vai apresentar a sua recandidatura à autarquia a 1 de julho. Quer que a cidade se afirme internacionalmente.

O presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Moreira.José Coelho / LUSA

O atual presidente da Câmara do Porto, o independente Rui Moreira, apresenta a sua recandidatura à autarquia a 1 de julho, data em que arrancarão as ações de campanha, anunciou este domingo a candidatura.

A exatamente três meses das eleições, Rui Moreira apresenta no próximo sábado, dia 1 de julho, a candidatura do seu movimento independente aos órgãos autárquicos do Porto”, indica comunicado da candidatura.

A apresentação, acrescenta o documento, “marcará o arranque das ações de campanha que visam a eleição de Rui Moreira como presidente da câmara e de um conjunto de cidadãos interessados em dar ao Porto uma equipa que lhe permita continuar o extraordinário desenvolvimento cultural, económico, urbanístico e social que a cidade conheceu nos últimos quatro anos, mas também em dar os passos seguintes de uma cidade que se afirma internacionalmente”.

Nas últimas eleições, a candidatura de Rui Moreira, sob o lema “O Nosso Partido é o Porto” foi o “primeiro movimento independente a ganhar uma eleição em grandes cidades europeias, tendo sido considerada uma das surpresas das eleições autárquicas, depois de ter obtido quase o dobro dos votos dos dois principais partidos juntos”, salienta.

O resultado então obtido (39,25%) permitiu à candidatura eleger seis vereadores, ficando a um mandato de obter a maioria absoluta, vencendo também as eleições para a Assembleia Municipal e em cinco das sete Juntas de Freguesia.

Em maio, o PS decidiu avançar com um candidato próprio, Manuel Pizarro, após o movimento independente de Rui Moreira – Porto, O Nosso Partido ter anunciado que prescindia do apoio dos socialistas à recandidatura do autarca.

Na corrida à câmara do Porto, para as eleições de 1 de outubro, somam-se como candidatos o independente Álvaro Almeida, apoiado pelo PSD e pelo PPM, João Teixeira Lopes, pelo BE, e Ilda Figueiredo pela CDU.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Autárquicas: campanha de Rui Moreira pelo Porto arranca a 1 de julho

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião