Simplex 2017 recebe mais de 250 propostas de cidadãos

  • Lusa
  • 26 Junho 2017

Mais de 250 cidadãos tiveram oportunidade de deixar as suas sugestões de medidas no Livro Simplex.

O Simplex + 2017, que será divulgado esta tarde, recebeu “mais de 250 propostas” até ao momento, de acordo com o gabinete da ministra da Presidência e da Modernização Administrativa.

Ao longo dos últimos meses, “os cidadãos tiveram oportunidade de deixar as suas sugestões de medidas no Livro Simplex (www.simplex.gov.pt/livro) e, “até ao momento, tinham chegado mais de 250 propostas”, segundo o gabinete da ministra Maria Manuel Leitão Marques.

O Simplex + 2017, que vai estar disponível em www.simplex.gov.pt, prevê, entre outras medidas, o pagamento em prestações do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI), bem como provas de aferição online.

Para o programa de 2017, foi ainda criado o Simplex Jam, que “resultou da vontade e da necessidade de incluir os funcionários da Administração Pública na construção das medidas”, ou seja, funcionários de diferentes serviços do Estado juntaram-se em espaços de debate para, em grupo, pensarem nas propostas.

Segundo o Governo, “133 funcionários, de diferentes áreas e funções distintas, provenientes de diversos pontos do território” debateram o tema e daí “saíram 222 propostas”.

Relativamente ao Simplex + 2016, apresentado em maio do ano passado, o gabinete da Presidência e da Modernização Administrativa adiantou que a taxa de execução “está em linha com as percentagens apresentadas em anos anteriores”.

“O sucesso do Simplex + 2016 é tal que se dá o caso de existirem 14 medidas plurianuais já implementadas (cujo prazo de implementação era posterior a maio de 2017)”, refere o Governo.

Em 22 de fevereiro, a ministra da Modernização Administrativa tinha afirmado que a média da taxa de execução do programa de 2016, que tinha entre as medidas a entrega do IRS automático, era de 62%.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Simplex 2017 recebe mais de 250 propostas de cidadãos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião