Medicamento: funcionários da agência escolheram Lisboa

  • ECO
  • 13 Julho 2017

Governo avança com Porto. Mas um inquérito interno diz que Lisboa é a vencedora nas preferências dos funcionários da Agência Europeia do Medicamento.

Portugal concorre com o Porto para a Agência Europeia do Medicamento mas era para Lisboa que a maioria dos 900 funcionários da EMA queriam ir. É este o resultado de um inquérito interno realizado na semana passada sobre as várias cidades candidatas, noticia o Expresso [acesso pago].

“Na semana passada, foi feito um inquérito interno e Lisboa saiu largamente vencedora comparativamente com Milão, Copenhaga, Lille e outras cidades concorrentes”, afirma o presidente da Associação Portuguesa da Indústria Farmacêutica (Apifarma), João Almeida Lopes, ao Expresso.

Já o gabinete de comunicação da EMA confirmou a existência de inquéritos para perceber as expectativas dos funcionários face à mudança da agência, mas salienta que os resultados não foram publicados.

Os laboratórios também defendiam Lisboa e agora estão em silêncio, depois de o Governo ter decidido em Conselho de Ministros avançar com o Porto. O regulador Infarmed também não comenta.

António Vaz Carneiro, direito do Instituto de Medicina Baseada na Evidência, da Faculdade de Medicina de Lisboa, prefere o Porto, para contrariar o centralismo, mas acredita que Lisboa estava mais bem preparada. E João Goulão, que presidiu durante dois mandatos ao Observatório Europeu da Droga e da Toxicodependência, também afirma que a capital seria mais competitiva.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Medicamento: funcionários da agência escolheram Lisboa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião