easyJet põe Portugal de lado. Cria subsidiária na Áustria

A nova empresa vai chamar-se easyJet Europe, terá sede em Viena e permitirá à companhia aérea britânica continuar a operar na União Europeia após o Brexit.

A easyJet escolheu a Áustria para criar a sua nova subsidiária, confirmou a companhia aérea, esta sexta-feira, em comunicado. A nova empresa vai chamar-se easyJet Europe, com sede em Viena, e vai permitir à lowcost britânica continuar a operar na União Europeia depois de o Reino Unido formalizar o Brexit.

“Após um processo rigoroso e aprofundado, a easyJet candidatou-se, este ano, à obtenção de um Certificado de Operação Aérea (COA) junto do Austro Control e de uma licença de operação aérea junto do Ministério Federal para os Transportes, Inovação e Tecnologia da Áustria”, anunciou a empresa.

Os aviões e os trabalhadores que farão a operação os voos da easyJet Europe já estão empregados e baseados nos 27 países da União Europeia, detalha ainda. A empresa acrescenta que a subsidiária vai criar postos de trabalho na Áustria, mas aqueles que já existem no Reino Unido vão manter-se no país. “Todos os trabalhadores da easyJet no Reino Unido vão continuar baseados em Luton e nas nossas 11 bases, como atualmente”.

Independentemente deste novo Certificado de Operação Aérea, a easyJet diz que vai continuar a lutar por um acordo entre o Reino Unido e a União Europeia para o setor da aviação, que “permita, no mínimo, a operação de voos entre o Reino Unido e a União Europeia”.

Portugal era outra das hipóteses para a criação da subsidiária, mas acabou por desistir por não aceitar as exigências da companhia aérea. Segundo noticiaram o Jornal de Negócios e o Dinheiro Vivo esta semana, a easyJet pretendia manter-se sob a supervisão do regulador da aviação do Reino Unido, o que implicaria que a Autoridade Nacional de Aviação Civil (ANAC), que regula a aviação em Portugal, abrisse uma exceção para esta companhia aérea. As autoridades portuguesas decidiram, assim, retirar-se da corrida.

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

easyJet põe Portugal de lado. Cria subsidiária na Áustria

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião