Empresas têm de liquidar IVA para terem isenção na alfândega

  • ECO
  • 31 Julho 2017

Para passarem a ser isentas de IVA alfandegário, as empresas terão de saldar todas as dívidas ao Fisco e à Segurança Social, incluindo o IVA diferido.

As empresas vão poder deixar de pagar IVA alfandegário no momento da importação, desde que tenham liquidado o imposto diferido que tenham pendente para pagamento. O pedido para abandonar o regime que dita o pagamento de IVA para quem importa de fora da União Europeia já pode ser feito no Portal das Finanças e tem o dia 16 de agosto como prazo final.

Esta imposição é avançada esta manhã pelo Jornal de Negócios (acesso pago), que informa também que, ainda que a portaria com as instruções expressas para as empresas que queiram passar ao regime de autoliquidação de IVA — ou seja, que só paguem imposto quando venderem as mercadorias — tenha sido publicada no dia 20 de julho, a opção de pedido só está disponível desde a passada sexta-feira.

Segundo as explicações oficiais do Ministério das Finanças, os comerciante devem efetuar o pedido através dos seguintes passos: “Serviços / Entregar / Pedido / Importações – Opção pagamento imposto DP IVA/ Pedido Adesão”. Além disto, a empresa tem de saldar todas as dívidas ao Fisco e à Segurança Social e de estar no regime mensal de IVA.

O fim do IVA alfandegário foi umas da medidas do Orçamento de Estado mais bem recebida pelas empresas. São apontadas como vantagens deste novo regime o fim do desvio de tráfego portuário, mais oportunidades para as atividades conexas e o aumento das receitas aduaneiras.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Empresas têm de liquidar IVA para terem isenção na alfândega

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião