Ronaldo: “Nunca houve a mínima intenção de evasão fiscal”

  • Tiago Varzim
  • 31 Julho 2017

O jogador português já foi ouvido em tribunal, mas recusou fazer declarações. Em causa estão as suspeitas do Fisco espanhol de que não terá pago 14,7 milhões de euros. Ronaldo emitiu um comunicado.

Cristiano Ronaldo já foi ouvido durante uma hora e meia no tribunal de Pozuelo de Alarcón enquanto suspeito, tendo sido questionado pela magistrada Mónica Gómez Ferrer. Apenas o espanhol AS, citando fontes próximos do internacional português, avança que a defesa não tenciona ceder nem pagar a multa de 29 milhões de euros, “nem sob ameaça ou risco de prisão”. O jogador manterá a argumentação de que há uma discrepância nos valores, cujo erro não pode ser considerado um crime. Ronaldo não prestou declarações aos jornalistas.

Em comunicado enviado ao início da tarde, divulgado pelo jornal espanhol Marca, Cristiano Ronaldo garante que “nunca houve a mínima intenção de evasão de impostos”. O jogador assinala que entregou sempre as declarações de impostos pedidas pelo fisco espanhol e que “jamais” ocultou alguma coisa. E vai mais longe, referindo que paga impostos “de forma voluntária” porque acha que “todos têm de declarar e pagar impostos de acordo com as suas receitas”. “Quem me conhece sabe o que peço aos meus assessores: que tenham tudo em dia e corretamente pago, porque não quero problemas“, conclui o jogador, negando a criação de uma estrutura offshore para gerir os seus direitos de imagem.

Se não me chamasse Cristiano Ronaldo não estaria aqui sentado.

Cristiano Ronaldo

Jogador português

Segundo o El Español, que cita fontes presentes no interrogatório, o jogador português disse que as responsabilidade relativas aos seus direitos de imagem eram tratadas pelos seus assessores fiscais. E avançou para um tese de caça às bruxas: “Se não me chamasse Cristiano Ronaldo não estaria aqui sentado”, disse no tribunal esta segunda-feira de manhã.

Esta defesa já tinha sido revelada pela própria Gestifute, a empresa de Jorge Mendes, o empresário de Ronaldo. Fonte da empresa que agencia o avançado do Real Madrid disse na semana passada que mantinha a postura perante a acusação, contrariando notícias que davam conta da intenção do capitão saldar a alegada dívida fiscal.

Depois de saber que foi acusado, Cristiano Ronaldo disse que “a melhor resposta é estar calado”. A melhor resposta às acusações de que é alvo é o silêncio, diz o internacional português, numa publicação na sua conta da rede social Instagram. Já o o Real Madrid mostrou “plena confiança” em Cristiano Ronaldo, afirmando em comunicado que o futebolista português atuou dentro da legalidade no que respeita às suas obrigações fiscais.

Foi a 13 de junho que a Autoridade Tributária espanhola acusou formalmente Cristiano Ronaldo de fuga ao Fisco. Em causa estarão 14,7 milhões de euros de impostos que terão ficaram por pagar em receitas relativas a direitos de imagem. O jogador arrisca uma pena de prisão efetiva de um mínimo de sete anos.

Recorde-se que a acusação formal veio corroborar as informações já antes avançadas pela imprensa, que davam conta de que Cristiano Ronaldo estava a ser investigado por alegados crimes fiscais. Em causa estão os impostos de três anos: 1,39 milhões de euros em 2011; 1,66 em 2012; 3,2 em 2013; e mais 8,5 milhões de euros em 2014.

Ronaldo é representado pelo escritório de advogados Baker & McKenzie. Segundo a Lusa, só depois da audição de segunda-feira é que o Ministério Público decidirá se avança com a acusação e qual a pena que irá pedir.

(Atualizado às 14h52 com o comunicado de Cristiano Ronaldo)

Comentários ({{ total }})

Ronaldo: “Nunca houve a mínima intenção de evasão fiscal”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião