Altice dá sinal de força. Vai recomprar mil milhões em ações

  • Rita Atalaia
  • 28 Agosto 2017

A empresa liderada pelo multimilionário Patrick Drahi vai comprar ações A e B na bolsa de Amesterdão. Este é um sinal de que a Altice está confiante de que vai alcançar as metas financeiras.

A Altice quer convencer o mercado de que vai cumprir as suas metas financeiras. Para isso, anunciou que vai recomprar mil milhões de euros em ações durante o próximo ano. Um passo que é dado numa altura em que a empresa continua à procura de oportunidades de negócio.

A empresa liderada pelo multimilionário Patrick Drahi vai comprar ações A e B na bolsa de Amesterdão, de acordo com um comunicado da Altice. “No futuro, a Altice vai continuar a avaliar a aplicação deste dinheiro extra para aproveitar oportunidades de relevo de fusão e aquisição ou devolver retornos aos acionistas”, refere. Esta operação reflete, segundo a empresa, a confiança de que vai alcançar os alvos financeiros no curto prazo, reiterando todos os objetivos para este ano.

"No futuro, a Altice vai continuar a avaliar a aplicação deste dinheiro extra para aproveitar oportunidades de relevo de fusão e aquisição ou devolver retornos aos acionistas.”

Altice

Esta recompra de títulos acontece numa altura em que a subsidiária norte-americana da Altice, a Altice USA, quer expandir o negócio através da compra da Charter Communications. Mas, para tal, precisará de parceiros. Segundo avançou a Bloomberg, a telecom estará à procura de investidores privados para se juntarem ao negócio, que poderá estar avaliado em 200 mil milhões de dólares.

Em julho, a Altice também avançou para a compra da parte do grupo Prisa na Media Capital por 440 milhões de euros. A aquisição é feita através da Meo, que enviou um comunicado ao regulador, onde disse ter lançado uma oferta pública geral e obrigatória sobre o capital do grupo proprietário da TVI.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Altice dá sinal de força. Vai recomprar mil milhões em ações

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião