BCE sinaliza em setembro e deverá anunciar em outubro o alívio dos estímulos

  • ECO
  • 1 Setembro 2017

Outubro é a data prevista pelos economistas da Reuters para o anúncio da redução da compra de ativos pelo BCE. Rumo do programa em 2018 só deverá ficar decidido perto do final deste ano.

O Banco Central Europeu (BCE) deverá dar alguns sinais na reunião da próxima semana. Mas, em outubro, deverá anunciar o alívio do programa de estímulos monetários conhecido por quantitative easing. A informação foi recolhida pela Reuters numa sondagem a 66 economistas.

Cerca de três quartos dos inquiridos fala do anúncio de uma redução do programa de estímulos monetários (quantitative easing) em outubro. Há três semanas, pouco mais de metade dos economistas apontavam no mesmo sentido. A sondagem decorreu entre os dias 28 e 31 de agosto.

Peter Vanden Houte, economista-chefe para a zona euro da ING Financial Markets, refere que o banco central poderá, no máximo, levar o comité a examinar a forma como deve avançar com o programa de estímulos no mês de setembro, e que o anúncio de redução deverá chegar em outubro. Este alívio dos estímulos vem no seguimento de um crescimento económico sólido na zona euro ao longo do ano, embora a taxa de inflação se encontre nos 1,5%, abaixo da meta dos 2% estabelecidos pelo banco central.

A Reuters aponta também que alguns dos analistas se mostram preocupados com o reduzido espaço de manobra do BCE. “[Mario] Draghi manteve-se pacífico no último encontro, defendendo que não há pressa em discutir uma redução”, diz Anatoli Annenkov, economista-sénior na Societé Generale, citado pela mesma fonte. Acrescenta que Draghi, no entanto, não fez muito para fazer frente às recentes condições financeiras, marcadas pela forte economia e pelas expectativas de mercado de que o banco central está a ficar sem alternativas.

O fim do programa de aquisição de estímulos do BCE está previsto para o final de 2018. Mas fontes da zona euro, ouvidas pela Bloomberg, garantem que os decisores não estarão preparados para tomar uma decisão acerca do programa para o próximo ano até poucas semanas antes de o atual programa expirar. Ou seja, mesmo na reunião de outubro, o rumo do programa em 2018 não deverá ficar fechado. A reunião seguinte acontece a 14 de dezembro.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

BCE sinaliza em setembro e deverá anunciar em outubro o alívio dos estímulos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião