Dez apps para viciados em compras online

  • ECO
  • 8 Setembro 2017

Cada vez mais pessoas compram online. Livros, roupa e até alimentação são alguns dos produtos a que pode aceder, apenas com um clique.

Comprar produtos através na internet é algo cada vez mais comum no quotidiano dos portugueses. O fenómeno do comércio online, em franco crescimento, tem levado a um aumento do número de lojas digitais que fazem apostas fortes na criação de aplicações.

De um vasto leque de aplicações disponibilizadas pelas próprias marcas na loja da Aptoide, uma startup portuguesa com mais de 150 milhões de utilizadores, foram selecionadas as dez melhores apps de compras que ajudam a descobrir os melhores preços, oportunidades ou até saldos imperdíveis.

ASOS

Uma das aplicações com mais marcas disponíveis — cerca de 850 — é a ASOS, uma das lojas online que maior crescimento tem apresentado nos últimos tempos. Esta app, com uma apresentação inovadora das peças de roupa, é direcionada aos fashion lovers. Nesta loja os utilizadores podem encontrar os produtos, pesquisando por categoria: tamanho, marca, preço e cor. Depois, basta guardar numa lista os favoritos. Existe ainda a possibilidade de ativação de alertas para descontos ou novas peças.

Clique aqui para descarregar.

Amazon Shopping

É das lojas mais conhecidas da comunidade online. A Amazon App é uma extensão do site da mesma, e está disponível não só para smartphones e tablets, como foi das primeiras a criar uma versão para smartwatches. O portal da Amazon contempla todo o tipo de produtos, dos mais variados preços e marcas, com diversos fornecedores. Entre as novas funcionalidades de interação com o utilizador está a geolocalização que permite, utilizando a localização do telemóvel, que cada utilizador escolha onde será entregue a sua encomenda. Existe ainda uma linha de apoio ao cliente, onde é possível seguir o status da encomenda ou fazer alguma reclamação do produto.

Clique aqui para descarregar.

Banggood –Shopping with Fun

Com uma avaliação de 4.63 estrelas, em 5, no ranking da Aptoide, a Banggood é uma das aplicações mais recentes desta categoria, mas também a com maior crescimento no que diz respeito a número de utilizadores e de downloads. Cada utilizador tem a possibilidade de escolher entre as mais diversas categorias de produtos e agrupá-los por interesse ou prioridade de compra. Com mais de 70 mil produtos à disposição, é possível seguir o status das encomendas depois de efetuado o pagamento.

Clique aqui para descarregar.

eBay

Fazendo parte do top das aplicações de vendas online mais descarregadas, o eBay foi dos primeiros sites de encomendas e agora está também disponível para smartphones e tablets. Além de fazer pesquisas por categorias, o utilizador pode adquirir itens exclusivos de vendedores do mundo inteiro. Esta app permite ainda receber alertas personalizados da atividade do utilizador e aceder facilmente ao stock dos produtos.

Clique aqui para descarregar.

ETSY: Handmade & Vintage Goods

Todos sabemos que o vintage está na moda e a ETSY, uma app utilizada por mais de 29 milhões de utilizadores, vem confirmar isso mesmo. Trata-se de um mercado global de itens artesanais e clássicos, para todos os gostos e idades. Desde a joalharia, passando por móveis, a ETSY ajuda os amantes de feiras e mercados a obter os seus itens favoritos, apenas à distância de um clique. Em alguns dos quiosques é ainda possível personalizar os itens, criando peças únicas.

Clique aqui para descarregar.

GearBest

Esta é a aplicação perfeita para os amantes de tecnologia. Dedicada apenas à venda de equipamentos tecnológicos – desde os gadgets mais pequenos a eletrodomésticos –, a GearBest conta com mais de 140 categorias. A GearBest permite ao utilizador organizar as compras por categoria de produtos, criar uma lista com os favoritos, ler comentários de feedback de outros utilizadores, perceber todos os detalhes do produto ou até seguir o estado da encomenda.

Clique aqui para descarregar.

La Redoute

A app do catálogo de vendas La Redoute é outra das eleitas pela Aptoide. Uma nova maneira de fazer compras para os já fãs do conceito, facilitando a descoberta e a encomenda de todos os produtos de forma fácil e intuitiva. Além de todas as possibilidades que esta aplicação oferece, é ainda possível a interação direta com o catálogo físico da marca, com a opção Scan & Buy. O utilizador pode passar o smartphone sobre uma página de um catálogo La Redoute, utilizando a câmara, e aceder facilmente a todos os detalhes dos produtos apresentados.

Clique aqui para descarregar.

OLX

Três passos simples descrevem esta aplicação: tirar uma foto ao produto, inserir uma descrição do mesmo e esperar o contacto de um segundo vendedor para esse mesmo produto. À semelhança do site, a aplicação do OLX serve para compra e venda de produtos em segunda mão, de todas as categorias. Cada utilizador tem uma conta pessoal e consegue atualizar os seus produtos, assim como realizar encomendas a partir desse mesmo portal. Existem diferentes versões desta app, entre as quais, Angola, Moçambique, Nigéria ou Filipinas.

Clique aqui para descarregar.

Sports Direct

Direcionado para os amantes de desporto, esta aplicação serve para todos os atletas amadores ou profissionais. Disponível na loja da Aptoide, com diversas categorias, esta aplicação pode enviar notificações de acordo com as preferências do utilizador e com os produtos visualizados/comprados. É ainda possível encomendar para todos os países onde a aplicação se encontre presente ou até, caso o utilizador faça parte de uma equipa, personalizar o seu equipamento desportivo.

Clique aqui para descarregar.

Wish

Com mais de 300 milhões de utilizadores e intermediários, esta é uma aplicação que permite a troca e venda de artigos de maneira simples e rápida. Os preços dos produtos são cerca de 50%-80% abaixo dos praticados em lojas físicas. Os artigos à venda nesta app tem origem nas mais diversas partes do mundo, sendo que são diretamente entregues na morada escolhida pelo utilizador.

Clique aqui para descarregar.

O ECO recusou os subsídios do Estado. Contribua e apoie o jornalismo económico independente

O ECO decidiu rejeitar o apoio público do Estado aos media, porque discorda do modelo de subsidiação seguido, mesmo tendo em conta que servirá para pagar antecipadamente publicidade do Estado. Pelo modelo, e não pelo valor em causa, cerca de 19 mil euros. O ECO propôs outros caminhos, nunca aceitou o modelo proposto e rejeitou-o formalmente no dia seguinte à publicação do diploma que formalizou o apoio em Diário da República. Quando um Governo financia um jornal, é a independência jornalística que fica ameaçada.

Admitimos o apoio do Estado aos media em situações excecionais como a que vivemos, mas com modelos de incentivo que transfiram para o mercado, para os leitores e para os investidores comerciais ou de capital a decisão sobre que meios devem ser apoiados. A escolha seria deles, em função das suas preferências.

A nossa decisão é de princípio. Estamos apenas a ser coerentes com o nosso Manifesto Editorial, e com os nossos leitores. Somos jornalistas e continuaremos a fazer o nosso trabalho, de forma independente, a escrutinar o governo, este ou outro qualquer, e os poderes políticos e económicos. A questionar todos os dias, e nestes dias mais do que nunca, a ação governativa e a ação da oposição, as decisões de empresas e de sindicatos, o plano de recuperação da economia ou os atrasos nos pagamentos do lay-off ou das linhas de crédito, porque as perguntas nunca foram tão importantes como são agora. Porque vamos viver uma recessão sem precedentes, com consequências económicas e sociais profundas, porque os períodos de emergência são terreno fértil para abusos de quem tem o poder.

Queremos, por isso, depender apenas de si, caro leitor. E é por isso que o desafio a contribuir. Já sabe que o ECO não aceita subsídios públicos, mas não estamos imunes a uma situação de crise que se reflete na nossa receita. Por isso, o seu contributo é mais relevante neste momento.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Dez apps para viciados em compras online

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião