Londres, Madrid, Paris. Os destinos mais populares dos aeroportos nacionais

  • ECO
  • 12 Setembro 2017

Lisboa, por seu lado, está entre os principais destinos de aeroportos como o de Madrid, Paris e Bruxelas.

Londres, Madrid e Paris são as rotas mais importantes dos aeroportos de Faro, Lisboa e Porto. Os dados, referentes a 2015, foram divulgados esta terça-feira pelo Eurostat e dão conta de que a grande maioria dos passageiros dos aeroportos nacionais é proveniente dos países da União Europeia.

O principal destino dos passageiros que partem de Lisboa é o aeroporto de Barajas, em Madrid. Seguem-se Paris-Orly, Madeira, Londres Heathrow e Bruxelas. Lisboa, por seu lado, também está entre os principais destinos de alguns dos maiores aeroportos europeus — é a quinta principal rota no aeroporto de Madrid, a quinta em Paris-Orly e a quarta em Bruxelas, por exemplo.

Ao todo, mais de 2,2 milhões de passageiros voaram, em 2015, de Lisboa para os cinco principais destinos do aeroporto da Portela. Entre estes passageiros, 12,3% eram portugueses, 63% eram provenientes da União Europeia e os restantes vinham de fora da União Europeia.

o principal destino dos passageiros que partem do Porto é o aeroporto de Paris-Orly. Seguem-se Lisboa, Genebra, Madrid e Barcelona. Feitas as contas, perto de 1,4 milhões de passageiros voaram do Porto para estes cinco destinos, dos quais 16% eram portugueses, 71,5% provenientes de países da União Europeia e 12,5% de países fora da União Europeia.

Por fim, no aeroporto de Faro, o principal destino era, de longe, Londres Gatwick, seguido de Manchester, Dublin, Bristol e Amesterdão. Em 2015, pouco mais de um milhão de passageiros voaram de Faro para estes destinos, dos quais a esmagadora maioria proveniente de países da União Europeia. Só 5,4% eram portugueses e 1,7% provinham de países fora da União Europeia.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Londres, Madrid, Paris. Os destinos mais populares dos aeroportos nacionais

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião