Sporting – FC Porto em dia de eleições autárquicas? CNE desaconselha

  • Lusa
  • 12 Setembro 2017

A Liga acredita que "os portugueses têm plena noção dos seus deveres e responsabilidade cívicas". A CNE defende que os jogos vão potenciar a abstenção.

A Comissão Nacional de Eleições (CNE) reiterou, esta terça-feira, que é desaconselhável a realização de eventos como jogos de futebol no dia das eleições autárquicas porque podem potenciar a abstenção. A Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) justifica a marcação de jogos para o dia das eleições autárquicas — incluindo o clássico Sporting – FC Porto — com a participação dos jogadores em jogos de outras competições.

Contactado pela agência Lusa, o porta-voz da CNE, João Tiago Machado, afirmou que, na reunião plenária desta terça-feira, a comissão reiterou a posição que havia assumido em setembro de 2015, a propósito da realização de jogos de futebol no fim de semana das eleições legislativas de outubro.

“Não havendo lei que expressamente os proíba, é desaconselhável a realização de eventos desta natureza que, em abstrato, potenciam a abstenção de um número que pode ser significativo de eleitores que, para além dos profissionais envolvidos, se deslocam para fora do local da sua residência habitual”, pode ler-se na ata de 8 de setembro de 2015.

Nessa mesma comunicação, a CNE refere ainda que “acresce que a manutenção das condições de tranquilidade pública no dia da eleição, que todos desejamos, recomenda que se evite estimular concentrações significativas de cidadãos, especialmente em ambiente de potencial conflitualidade“.

Em carta dirigida ao presidente da CNE, datada também desta terça-feira, a que a agência Lusa teve acesso, a LPFP explica que a realização de quatro jogos no domingo, 1 de outubro, está relacionada com a participação das equipas portuguesas nas competições europeias e com o jogo seguinte da seleção nacional.

“Face à participação das equipas portuguesas em competição europeia na semana anterior, à necessidade de acautelamento do intervalo regulamentar de descanso entre jogos de pelo menos 72 horas, bem como a obrigatoriedade de libertação de jogadores para as seleções nacionais, no dia 2 de outubro”, o organismo indica que agendou quatro jogos para o dia das eleições autárquicas.

Além do confronto entre o Sporting e o FC Porto, com início às 18h00, estão também marcados para 1 de outubro os jogos Marítimo – Benfica (20h15), Sporting de Braga – Estoril-Praia (16h00) e Belenenses – Vitória de Guimarães (20h30).

A Liga está convicta de que os portugueses têm plena noção dos seus deveres e responsabilidades cívicas. Razão pela qual a lei não prevê qualquer proibição de atividades de entretenimento e desportivas em datas eleitorais”, disse à Lusa o diretor de comunicação da LPFP, António Barroso.

Marcelo ainda não falou com Costa

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou que ainda não teve oportunidade de falar com o primeiro-ministro, António Costa, sobre o agendamento de jogos de futebol para o dia das eleições autárquicas.

Marcelo foi questionado sobre a possível interferência destes jogos na participação eleitoral durante uma conferência de imprensa conjunta com o Presidente da Costa do Marfim, Alassane Ouattara, no Palácio de Belém, em Lisboa.

“Não tive ainda oportunidade de falar sobre essa matéria com o senhor primeiro-ministro”, respondeu o chefe de Estado, sem adiantar mais sobre este assunto.

O ECO recusou os subsídios do Estado. Contribua e apoie o jornalismo económico independente

O ECO decidiu rejeitar o apoio público do Estado aos media, porque discorda do modelo de subsidiação seguido, mesmo tendo em conta que servirá para pagar antecipadamente publicidade do Estado. Pelo modelo, e não pelo valor em causa, cerca de 19 mil euros. O ECO propôs outros caminhos, nunca aceitou o modelo proposto e rejeitou-o formalmente no dia seguinte à publicação do diploma que formalizou o apoio em Diário da República. Quando um Governo financia um jornal, é a independência jornalística que fica ameaçada.

Admitimos o apoio do Estado aos media em situações excecionais como a que vivemos, mas com modelos de incentivo que transfiram para o mercado, para os leitores e para os investidores comerciais ou de capital a decisão sobre que meios devem ser apoiados. A escolha seria deles, em função das suas preferências.

A nossa decisão é de princípio. Estamos apenas a ser coerentes com o nosso Manifesto Editorial, e com os nossos leitores. Somos jornalistas e continuaremos a fazer o nosso trabalho, de forma independente, a escrutinar o governo, este ou outro qualquer, e os poderes políticos e económicos. A questionar todos os dias, e nestes dias mais do que nunca, a ação governativa e a ação da oposição, as decisões de empresas e de sindicatos, o plano de recuperação da economia ou os atrasos nos pagamentos do lay-off ou das linhas de crédito, porque as perguntas nunca foram tão importantes como são agora. Porque vamos viver uma recessão sem precedentes, com consequências económicas e sociais profundas, porque os períodos de emergência são terreno fértil para abusos de quem tem o poder.

Queremos, por isso, depender apenas de si, caro leitor. E é por isso que o desafio a contribuir. Já sabe que o ECO não aceita subsídios públicos, mas não estamos imunes a uma situação de crise que se reflete na nossa receita. Por isso, o seu contributo é mais relevante neste momento.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Sporting – FC Porto em dia de eleições autárquicas? CNE desaconselha

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião