Christie’s vai leiloar maior diamante de Angola como joia rara

  • Lusa
  • 2 Outubro 2017

O maior diamante encontrado em Angola foi transformado numa joia rara de 163,41 quilates. Vai ser leiloado a 14 de novembro pela Christie's.

O maior diamante encontrado em Angola, comprado em 2016 pela joalharia suíça De Grisogono, de Isabel dos Santos e Sindika Dokolo, foi transformado numa joia rara de 163,41 quilates e será leiloado a 14 de novembro, informou a Christie’s.

O diamante, o 27.º maior em todo o mundo, tinha originalmente 404,2 quilates e sete centímetros de comprimento quando foi encontrado, em fevereiro de 2016, por uma empresa mineira australiana no campo do Lulo, na Lunda Norte, no leste de Angola.

Segundo informação da Christie’s, que vai conduzir o leilão, a realizar em Genebra, o diamante foi transformado por uma equipa de 10 especialistas e incorporado num colar – constituindo duas joias -, depois de os estudos realizados pelo Gemological Institute of America (GIA), em Nova Iorque, terem comprovado a sua “extrema raridade” e relevância.

Trata-se igualmente do maior diamante do género a ser levado a leilão, segundo a Christie’s, que o vai mostrar nas próximas semanas a colecionadores de Hong Kong, Londres, Dubai e Nova Iorque, antes da chegada a Genebra, para a licitação.

Em maio de 2016, o empresário e colecionador de arte Sindika Dokolo, marido da empresária Isabel dos Santos, sócios na De Grisogono, confirmou à Lusa que comprou, através daquela joalharia suíça, o maior diamante encontrado em Angola.

“Confirmo essa informação”, disse o empresário à Lusa, em Luanda, sem adiantar mais pormenores, nomeadamente os valores envolvidos no negócio.

Conhecido colecionador de arte, Sindika Dokolo comprou há cerca de cinco anos 75% da joalharia De Grisogono, através da Victoria Holding Limited (criada em 2010 numa parceria entre Dokolo e a Sodiam (Sociedade de Comercialização de Diamantes de Angola), por 100 milhões de dólares (85 milhões de euros).

As companhias de diamantes angolana Endiama (estatal) e australiana Lucapa anunciaram a 1 de março, em comunicado, a venda deste diamante.

“A pedra de 404 quilates vendeu-se por 16 milhões de dólares [13,6 milhões de euros], o que representa um espetacular preço de 39,5 dólares por quilate, um recorde para um diamante branco extraído da mina do Lulo”, lê-se no comunicado da empresa australiana.

Aquando da descoberta, a Endiama anunciou que a venda contribuirá para as contas do Estado.

O projeto Lulo, localizado no município de Capenda Camulemba, ladeado pelos projetos Cacuilo e Capenda, é uma sociedade constituída por uma parceria entre a Endiama (32%), a Rosa e Pétalas (28%) e a Lucapa Diamond (40%), empresa australiana que é operadora da mina.

Depois do petróleo – cujas receitas caíram para metade desde 2015, devido à crise da cotação do barril de crude -, os diamantes são o segundo produto de exportação de Angola.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Christie’s vai leiloar maior diamante de Angola como joia rara

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião