67 milhões: Pink Star é o diamante mais valioso de sempre

Um chinês aceitou pagar o equivalente a 67 milhões de euros para arrematar o Pink Star num leilão da Sotheby's, em Hong Kong. Trata-se do valor mais elevado de sempre pago por uma gema.

Bastaram cinco minutos para se fazer história. Este foi o tempo que demorou a licitação do Pink Star, um anel de diamantes que foi arrematado pelo valor mais elevado de sempre: o equivalente a 66,7 milhões de euros.

O feito aconteceu num leilão da Sotheby’s que decorreu esta terça-feira em Hong Kong, com a valiosa gema com 59,6 quilates a ser arrematada por Chow Tai, que é o maior joalheiro do mundo. Este dispôs-se a desembolsar por 553 milhões de dólares de Hong Kong (66,7 milhões de euros à cotação atual) para ficar com esta pedra preciosa que até já tinha sido sujeita ao bater do martelo por quantias mais elevadas. Foi o que aconteceu em 2013, quando o Pink Star foi arrematado, também num evento da Sotheby’s, por 83 milhões de dólares (cerca de 77,9 milhões de euros) pelo dilapidador de diamantes, Isaac Wolf. Contudo, a venda acabou por ser anulada, depois de este nunca ter pago a quantia em dívida.

O Pink Star destronou assim o Oppenheimer Blue que era até agora a pedra preciosa mais cara de sempre ao ser arrematada por 58 milhões de dólares (cerca de 54,4 milhões de euros) num leilão realizado pela Christie’s, em maio do ano passado.

Antes de ter sido sujeito ao bater do martelo, o mercado já antecipava que o Pink Star atingisse um preço final recorde. As estimativas apontavam para que valesse acima de 60 milhões de dólares. A distingui-lo está o facto de se tratar do maior diamante sem falhas internas do seu género alguma vez avaliado pelo Instituto Gemológico da América. Acresce ainda a sua cor, rosa “fancy”, a classificação mais elevada, mas também o grau de pureza dos seus cristais que figura nos 2% de mais elevados do mundo.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

67 milhões: Pink Star é o diamante mais valioso de sempre

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião