BCE quer que bancos tenham provisões para cobrir 100% do malparado

A partir de 1 de janeiro de 2018, os bancos europeus terão, no máximo, dois anos para deixar de lado o equivalente a 100% do novo crédito malparado.

O Banco Central Europeu (BCE) vai pedir aos bancos da zona euro que, no próximo ano, ponham mais dinheiro de parte para cobrir o crédito malparado.

A partir de 1 de janeiro de 2018, aponta um comunicado do BCE citado pela Reuters, os bancos europeus terão, no máximo, dois anos para deixar de lado o equivalente a 100% do novo crédito malparado. No prazo de sete anos, terão de conseguir cobrir a totalidade da dívida incobrável (nova e antiga).

Qualquer “desvio” desta orientação do BCE terá de ser justificada e, com base nessas explicações, o regulador decidirá se os bancos em questão precisam de medidas de supervisão adicionais, aponta ainda o comunicado.

Para já, esta orientação do BCE é apenas uma proposta, que estará disponível para consulta pública até 8 de dezembro, aponta ainda a Reuters.

Ao todo, os bancos da zona euro acumulam perto de um bilião de euros em crédito malparado. Os bancos italianos, gregos, espanhóis e cipriotas são os mais afetados. Em Portugal, no final de 2016, quase 16% de todo o crédito concedido às empresas estava em incumprimento. Junto das famílias, esta proporção cai para 4,8%.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

BCE quer que bancos tenham provisões para cobrir 100% do malparado

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião