Regressou a app do Web Summit. Cinco coisas que pode fazer com ela

Está de regresso a aplicação do Web Summit, exclusiva para participantes do evento. Saiba como a descarregar e tome nota de cinco coisas que pode fazer com ela.

Já está disponível a aplicação do Web Summit.Web Summit / Flickr

A aplicação do Web Summit está de regresso às principais lojas de aplicações, após um interregno entre edições. A poucos dias do arranque da maior feira de tecnologia e empreendedorismo da Europa, que decorrerá entre 6 e 9 de novembro em Lisboa, a app que permite conectar pessoas e aceder a informações relevantes está novamente online.

Esta app é exclusiva para quem já tem bilhete ou beneficia de um outro tipo de acreditação, como acontece com os oradores, jornalistas, voluntários, entre outros. Para aceder, é necessário fornecer o código do seu bilhete e indicar o email associado ao mesmo.

Antes de entrar, deve completar o seu bilhete com os dados pessoais que lhe forem pedidos. O download é gratuito e está disponível para utilizadores de Android e iOS. Uma vez que é tão recente, caso encontre algo que não funciona como deveria, não se preocupe: provavelmente, não passa de um bug.

5 coisas a fazer com a app do Web Summit

– Levantar a credencial

Com a aplicação, poderá levantar a sua credencial no recinto do evento, no Parque das Nações, em Lisboa. A aplicação fornece um código de barras (QR Code) que é, depois, digitalizado por voluntários à entrada. Esse código é pessoal e intransmissível e serve para poder entrar efetivamente no evento.

– Conhecer pessoas

As credenciais do Web Summit terão igualmente um código de barras que pode ser digitalizado pelos participantes. Se encontrou alguém interessante e quer manter contacto no futuro, basta pedir-lhe a credencial, apontar o telemóvel e os dados de contacto ficam automaticamente gravados na sua lista de contactos na aplicação. Quando a feira acabar, pode descarregar tudo para o seu email ou lista de contactos do telemóvel.

– Contactar oradores

O Web Summit reúne em Lisboa um vasto leque de figuras públicas que também se encontram registadas na aplicação. Através dela, poderá tentar a sua sorte e contactar os oradores que farão parte dos vários painéis. Pode mesmo contactar o próprio Paddy Cosgrave, o promotor do evento. E acredite que não é preciso assim tanta sorte para receber uma mensagem de volta.

– Consultar e criar a sua agenda

São centenas e centenas os painéis que fazem parte do Web Summit. Uma vez que é humanamente impossível ir a todos (dada a dimensão do recinto e o facto de a maioria dos painéis decorrerem em simultâneo), poderá criar a sua própria agenda ou pedir à aplicação que sugira uma com base nos seus interesses, definidos logo no momento em que completa o registo inicial na plataforma. Pode ainda configurar a app para enviar alertas minutos antes de cada conferência começar.

– Ver o mapa

O Web Summit decorrerá na FIL, ao longo de vários pavilhões de grande dimensão. Some-se a isso a Altice Arena, ex-Meo Arena, ex-ex-Pavilhão Atlântico, onde decorrerão os eventos principais. Recorrendo ao GPS do telemóvel, saberá sempre onde está e para onde quer ir, consultando o mapa disponível na app.

Comentários ({{ total }})

Regressou a app do Web Summit. Cinco coisas que pode fazer com ela

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião