Inteligência artificial é consigo? Vodafone quer investir

  • ECO
  • 26 Outubro 2017

Competição promovida pela Vofadone procura startups ligadas à inteligência artificial, connected life e gamification. Os dois projetos vencedores ganham 20 mil euros cada um.

Tem uma startup nas áreas da inteligência artificial, connected life ou gamification? A edição deste ano do Smart Innovation Challenge é para si. A competição, promovida pelo Vodafone Power Lab, pretende encontrar soluções inteligentes nestas três áreas para serem integradas no portefólio de produtos da operadora móvel multinacional. Os dois melhores projetos receberão um investimento de 20 mil euros cada.

O Smart Innovation Challenge 2017 está, assim, à procura de pequenas empresas que estejam a desenvolver produtos para utilização através da televisão, smartphone, tablet ou computador e de startups nacionais com propostas ao nível da utilização das mecânicas de jogo para a potencialização do engajamento com os serviços oferecidos pela operadora (gamification), da gestão sustentável e eficiente de recursos (casa, veículos, bens e pessoas) através ou não do uso de Internet das Coisas (connected life) ou do softaware que se desenvolve e aprende autonomamente (inteligência artificial).

A 11 de dezembro, os oito finalistas selecionados apresentarão as suas ideias perante um júri composto por quadros da Vodafone. Para já, e até 26 de novembro, as inscrições continuam abertas (e podem ser feitas aqui).

O Smart Innovation Challenge surgiu em 2015 — então chamado de TV Innovation Challenge — com o objetivo de encontrar soluções inovadoras para o serviço de TV desta operadora móvel.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Inteligência artificial é consigo? Vodafone quer investir

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião