Vodafone Portugal aumenta clientes. Receitas crescem

  • Lusa
  • 21 Julho 2017

A operadora de Mário Vaz registou um aumento nas receitas trimestrais de 4,6% para 246 milhões de euros. Ultrapassou barreira dos 600.000 clientes fixos.

As receitas totais da Vodafone Portugal subiram 4,6% no primeiro trimestre fiscal terminado em junho, face a igual período do ano passado, para 246 milhões de euros, anunciou a operadora. No mesmo período, as receitas de serviços subiram 5,4% para 232 milhões de euros, adianta a empresa liderada por Mário Vaz.

“Este desempenho revela uma aceleração do ritmo de crescimento de um dos mais importantes indicadores de negócio, o que se verifica pelo sétimo trimestre consecutivo”, refere a operadora.

O número de clientes móveis da Vodafone Portugal fixa-se em cerca de 4,672 milhões, dos quais 1,467 milhões são clientes 4G (+60,6% em termos anuais), sendo que “a utilização de dados móveis acelera 22,8% face ao trimestre anterior e 87,5%” em termos homólogos. “De abril a junho, o negócio fixo regista uma vez mais um forte crescimento, com a base de clientes a aumentar 15,9%” em termos homólogos, “ultrapassando a barreira dos 600 mil”.

No trimestre em análise, a operadora atingiu mais de 500 mil clientes a utilizar o serviço de televisão de última geração da Vodafone. “O crescimento orgânico da empresa, o reforço da sua posição competitiva e a satisfação dos clientes testemunham a credibilidade e o sucesso da aposta da Vodafone no mercado português”, refere Mário Vaz, presidente executivo da Vodafone Portugal.

“No início do processo de convergência, a Vodafone contabilizava apenas 40 mil clientes de televisão. Hoje, mais de meio milhão de clientes legitima a superioridade do nosso serviço de televisão de última geração. A Vodafone, que este ano celebra o seu 25.º aniversário, mantém a promessa de continuar a olhar para o futuro com ambição e otimismo, entregando o melhor serviço aos seus clientes”, concluiu o gestor.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Vodafone Portugal aumenta clientes. Receitas crescem

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião