PIB cresce mais do que o esperado mas inflação desilude

  • Margarida Peixoto
  • 31 Outubro 2017

Os países da moeda única cresceram 0,6% entre julho e setembro deste ano, uma décima acima do esperado pelos economistas da Bloomberg. Contudo, a taxa de inflação desiludiu.

O PIB da Zona Euro deverá ter crescido 0,6% no terceiro trimestre deste ano, revelou esta terça-feira o Eurostat, na primeira estimativa rápida. O valor ficou ligeiramente acima (apenas uma décima) do estimado pelos economistas da Bloomberg. Contudo, a taxa de inflação desiludiu, com a inflação core a cair para 0,9%, abaixo da expectativa de 1,1% dos economistas.

Os dados do PIB, ajustados de sazonalidade, mostram que o crescimento nos países da moeda única avança ao mesmo ritmo que o verificado no conjunto de toda a União Europeia, cujo PIB também avançou 0,6% em termos trimestrais.

Zona euro avança 0,6% no trimestre

Fonte: Eurostat

Comparando com o valor registado no mesmo trimestre de 2016, verifica-se uma aceleração do crescimento, para 2,5%, tanto na Zona Euro, como no conjunto da União, acrescenta ainda o Eurostat. No segundo trimestre de 2017 o crescimento homólogo tinha sido de 2,3% na Zona Euro e de 2,4% na União Europeia.

Contudo, e apesar do crescimento ligeiramente mais robusto no terceiro trimestre, a inflação da Zona Euro desiludiu os economistas, a avaliar pelas expectativas publicadas pela Bloomberg. A taxa de inflação anual recuou uma décima, para 1,4%, em outubro. Já a inflação core, isto é, excluindo os preços da energia, alimentação, álcool e tabaco recuou para 0,9% dos anteriores 1,1%. A projeção dos economistas apontava para a manutenção deste indicador nos 1,1%.

Inflação desilude e recua para 1,4%

Fonte: Eurostat

Na quinta-feira passada, o Banco Central Europeu (BCE) anunciou o corte para metade do programa de compras mensais a partir de janeiro, até terminar em setembro. Contudo, o presidente do BCE, Mario Draghi, assegurou que o “programa não vai acabar de um momento para o outro” e deixou a porta aberta à renovação por mais tempo.

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

PIB cresce mais do que o esperado mas inflação desilude

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião