Portugal Exportador 2017. Para discutir as empresas e as exportações

  • ECO
  • 13 Novembro 2017

O défice comercial chega aos dez mil milhões só em 2017. Novo Banco, AICEP e Fundação AIP juntam-se para debater soluções que promovam as exportações. É já dia 22, no Centro de Congressos de Lisboa.

A balança comercial portuguesa está desequilibrada: o défice já atinge os dez mil milhões desde o início do ano e isso mostra como é que há ainda um caminho a fazer pelas empresas. De forma a promover o caminho das exportações, o Novo Banco junta-se à AICEP e à Fundação AIP na organização do Portugal Exportador 2017, com uma agenda cheia. Assim, no dia 22 de novembro, a partir das 9h00, o Centro de Congressos de Lisboa (Junqueira) recebe a 12.ª edição do Portugal Exportador. Neste evento, Luís Marques Mendes e Luís Amado são dois dos oradores convidados, para refletirem sobre a economia e a geopolítica internacional.

O Portugal Exportador 2017 – que tem o ECO e a TVI24 como parceiros de media – será também uma oportunidade para os empresários e gestores ouvirem os embaixadores da China, Canadá, Argentina, Chile e México. A abrir estará o ministro da Economia, Caldeira Cabral, e a última intervenção caberá ao Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa. Os maiores partidos, com assento parlamentar, farão, ao longo dia visitas oficiais.

São 10 Gabinetes de Consultoria e B2B, 34 embaixadas, 15 Câmaras de Comércio bilaterais, 13 associações empresariais representadas nos mais de 80 expositores e mais de 100 oradores que abordarão os vários assuntos ligados à exportação e internacionalização das empresas portuguesas, nos 16 workshops e 32 cafés temáticos.

No evento estarão 11 mercados em análise. As empresas vão poder contactar com as delegações internacionais presentes e equipas de consultores especializados em várias áreas ligadas à exportação, entre as quais o Negócio Internacional, Social Selling, Seguros de Crédito, Instrumentos de Cobertura de Risco Cambial, Operadores Logísticos, Trade Finance e Consultoria Internacional por parte de algumas embaixadas.

O crescimento das exportações nacionais é um desafio constante, que temos que saber jogar e ganhar.

Jorge Rocha de Matos

Presidente da Fundação AIP

Para o presidente da Fundação AIP, Jorge Rocha de Matos, “o crescimento das exportações nacionais é um desafio constante, que temos que saber jogar e ganhar. Para isso é necessário ter uma estratégia de internacionalização inteligente e mobilizadora das diferentes partes interessadas. É neste sentido que o Portugal Exportador se tem afirmado como centro de reflexão e debate abrangente, mobilizando em primeiro lugar as empresas, mas também os centros de saber, nomeadamente as universidades e os decisores políticos

O inquérito anual da AIP mostra que mais de metade (53%) das companhias inquiridas tem a intenção de investir este ano, enquanto 78% das que exportam preveem aumentar as transações para fora do país. O Portugal Exportador dirige-se tanto a empresas que pretendem iniciar-se na exportação como àquelas que querem reforçar a presença no mercado estrangeiro.

Segue abaixo o horário do evento.

Horário das palestras do Portugal Exportador 2017

 

(Notícia atualizada às 18h18 d dia 20-11-2017 com mais informação)

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Portugal Exportador 2017. Para discutir as empresas e as exportações

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião