Oi regista lucro de 56,8 milhões de euros no Brasil, no terceiro trimestre

  • Lusa
  • 14 Novembro 2017

No terceiro trimestre deste ano, a Oi acumulou, 56, 8 milhões de euros em lucro, só no Brasil. Desvalorização do dólar face a real e cortes os custos justificam evolução.

A operadora de telecomunicações Oi atingiu um lucro de 217,5 milhões de reais (56,8 milhões de euros) no Brasil no terceiro trimestre deste ano, primeiro resultado positivo registado no país da empresa desde igual período de 2015.

Num balanço divulgado na noite de segunda-feira, a Oi informou que incluindo as operações internacionais, obteve um lucro de oito milhões de reais (dois milhões de euros) no mesmo período.

Segundo a empresa, os resultados positivos decorrem do corte de custos de 337 milhões de reais (88 milhões de euros) no trimestre e de 1,5 mil milhões de reais (390 milhões de euros) nos nove primeiros meses do ano. Outro fator determinante foi a desvalorização do dólar face a moeda brasileira.

Já o EBITDA (sigla em inglês para denominar o lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação) da Oi somou 1,6 mil milhões de reais (420 milhões de euros) no terceiro trimestre, um aumento de 4,1% em relação ao mesmo período de 2016.

“Nos nove meses acumulados do ano, o total de investimentos atingiu 3,8 mil milhões de reais (993 milhões de euros), com crescimento de 11,6% em relação ao mesmo período de 2016″, destacou a empresa no balanço.

A dívida consolidada da Oi somou 51,8 mil milhões de reais (13,5 mil milhões de euros), redução de 0,2% no trimestre e elevação de 7,3% na comparação com 2016.

A operadora brasileira acrescentou que desde que iniciou um processo de recuperação judicial, em junho do ano passado, as suas operações geraram 2,6 mil milhões de reais (680 milhões de euros) em caixa.

Sobre o processo de recuperação judicial, a Oi informou no balanço que “mantém evolução no processo de Recuperação Judicial e segue negociando com os credores buscando a melhor proposta de plano de recuperação judicial, para ser submetida à aprovação na Assembleia Geral de Credores no dia 7 de dezembro”.

A Bratel, subsidiária da portuguesa Pharol, é acionista minoritária de referência com 22% das ações da Oi.

A operadora de telecomunicações brasileira entrou com um pedido de recuperação judicial por não conseguir negociar as dívidas, que na época somavam 65 mil milhões de reais (17,1 mil milhões de euros na cotação de hoje).

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Oi regista lucro de 56,8 milhões de euros no Brasil, no terceiro trimestre

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião