Tencent: a primeira empresa chinesa a valer mais de 500 mil milhões

A empresa de tecnologia tornou-se na primeira chinesa a ultrapassar os 500 mil milhões de dólares, ultrapassando, assim, o Facebook.

A empresa de tecnologia Tencent tornou-se a primeira empresa chinesa a valer mais de 500 mil milhões de dólares (425,46 mil milhões de euros). Atualmente está avaliada em 510 mil milhões de dólares (433,97 mil milhões de euros) e já ultrapassou o valor do Facebook.

Conceituada nas áreas das tecnologias e dos jogos eletrónicos, a Tencent é mundialmente conhecida pela sua rede social WeChat. A plataforma funciona como uma espécie de “whatsapp chinês” e passou de uma simples aplicação de mensagens para uma plataforma que conta atualmente com 980 milhões de utilizadores mensais.

O WeChat foi o principal impulsionador das receitas angariadas pela Tencent no terceiro trimestre deste ano — as receitas de publicidade aumentaram 63% e as receitas com os pagamentos online registaram um salto de 143%.

Malásia: um mercado com 20 milhões de utilizadores

Com um sucesso cada vez maior, a Tencent está a planear lançar o WeChat para o estrangeiro. A escolha recai sobre a Malásia, de acordo com informações da empresa à Reuters. O primeiro passo foi a obtenção de uma licença para pagamentos eletrónicos na Malásia, e espera-se que no início do próximo ano o WeChat esteja lançado.

“A Malásia é realmente bastante grande no sentido em que temos 20 milhões de utilizadores do WeChat, um enorme potencial, e o mercado é bastante atraente para os produtos de internet da China“, disse SY Lau, vice-presidente da Tencent.

Quanto à sua expansão, Lau confessa que a empresa “não está com pressa” para se alargar a novos mercados. “Nós caminhamos pelo nosso próprio caminho, ao nosso ritmo… E, para ser sincero, há muito a fazer na China”, disse.

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

Tencent: a primeira empresa chinesa a valer mais de 500 mil milhões

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião