Marcelo apela à “sensatez” na concertação social

O Presidente da República apelou esta quarta-feira à "sensatez orçamental" e pediu à concertação social que não troque "a ilusão mirífica de um instante por aquilo que é estruturante e consistente".

Os Presidentes dos dois países apelaram à cooperação económica.Henrique Casinhas/ECO

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou esta quarta-feira que “a sensatez orçamental é fundamental” — e apelou a essa mesma sensatez “na concertação social, não trocando a ilusão mirífica de um instante por aquilo que é estruturante e consistente”. “A consistência no controlo do défice, na redução da dívida pública, é essencial para o investimento, para a exportação, para o crescimento e para o emprego”, defendeu.

O Chefe de Estado português falava na sessão de encerramento da 12ª edição da iniciativa Portugal Exportador, sob o olhar atento de Jorge Carlos Fonseca, Presidente da República de Cabo Verde. Este apelo surge numa altura em que várias frentes de setores da administração pública pedem revisão do tempo de serviço para efeitos de progressão nas carreiras.

“Faz parte da democracia a sensatez de não deitar fora o essencial do caminho percorrido em termos de equilíbrio financeiro e do essencial da concertação social”, firmou também o Presidente de República, considerando que esta não pode ser apenas uma preocupação do Governo ou da presidência, mas sim “preocupações de todo um país”.

Foco na exportação e no reforço de parcerias

Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de ceder o último discurso da sessão de encerramento ao Presidente da República de Cabo Verde, para assinalar o facto de este “estar em casa” e o fazer como se ele próprio “fosse Presidente da República portuguesa”. As relações políticas e económicas entre os dois países foram um dos tópicos centrais dos dois discursos, com Marcelo a afirmar que é preciso “levar mais longe o relacionamento entre as duas economias”, começando pela circulação de pessoas.

Por sua vez, Jorge Carlos Fonseca, que está em Portugal para uma visita de Estado que teve início na tarde desta quarta-feira, quis deixar claro que Cabo Verde é um bom parceiro para os empresários portugueses. “Estamos aqui para vos dizer que Cabo Verde não é só um pequeno país que alberga meio milhão de pessoas”, garantiu o Presidente. “Cabo Verde pode oferecer estabilidade politica ancorada numa boa governação”, apontando os acordos de cooperação internacional como uma boa porta de entrada para outros países.

Neste evento focado no incentivo às exportações, cujo mote é elevar o peso das mesmas no PIB para 50% até 2025, o Presidente da República lançou ainda a questão: “Pode haver outro Portugal que não seja exportador?” E respondeu: “Portugal nasceu exportador. Toda a História de Portugal é uma História de Portugal exportador. Fomos grandes quando nos abrimos para o mundo.”

(Notícia atualizada às 19h42 com mais informação)

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

Marcelo apela à “sensatez” na concertação social

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião