Governo avança com mais 105 milhões para apoiar empresas após os incêndios

Os fundos comunitários vão voltar a financiar projetos de inovação e criadores de emprego nas zonas do centro do país afetadas pelos fogos. Em causa estão concursos no valor de 105 milhões de euros.

O Executivo vai lançar novos concursos no âmbito do Portugal 2020 para as empresas de toda a região Centro afetada pelos incêndios deste verão. Em causa estão 105 milhões de euros, apurou o ECO, o ECO, que serão atribuídos não só para inovação produtiva, mas também para apoiar a criação de emprego.

Esta será já a terceira “linha” de apoio lançada para ajudar a reabilitar o tecido empresarial devastado pelos fogos. O anúncio será feito esta sexta-feira, pelo ministro do Planeamento, Pedro Marques, e pelo secretário de Estado do Desenvolvimento e Coesão, Nelson Souza, em Castelo de Paiva.

A ideia será lançar no âmbito do Portugal 2020 — o quadro comunitário em vigor — concursos ao nível do Sistema de Incentivos à Inovação, mas também do programa de apoio SI 2 E – Sistema de Incentivos ao empreendedorismo e ao Emprego, que financia projetos de criação e expansão de empresa.

Ao contrário dos apoios disponibilizados até ao momento, mais focados na reposição das fábricas e da capacidade produtiva — foi inclusivamente necessário proceder a uma reprogramação do Programa Operacional do Centro (Centro 2020) para que estas tipologias fossem elegíveis –, o objetivo desta nova linha será apoiar novos investimentos, sobretudo se trouxerem inovação. “A lógica não é tanto repor, mas antes potenciar dinheiro fresco, novos investimentos e criação de emprego, mais em linha com o próprio Portugal 2020”, explicou ao ECO fonte oficial do gabinete de Pedro Marques.

Esta linha surge depois dos 100 milhões inicialmente anunciados e financiados pelos reembolsos do IAPMEI para repor a capacidade produtiva e da segunda linha de 100 milhões contratualizada com todos os bancos para conceder empréstimos com bonificação para apoio à tesouraria. Houve ainda, mas só para Pedrógão, um apoio de 25 milhões de euros para apoiar as 55 empresas afetadas pelos fogos.

Sexta-feira vai ainda ficar marcada pelo encontro do primeiro-ministro, António Costa, e do ministro-adjunto, Pedro Siza, com os autarcas afetados pelos incêndios para a captação de investimento para o interior. Fonte oficial do gabinete do primeiro-ministro confirmou ao ECO que o presidente da Aicep, Luís Castro Henriques, também vai estar presente para avaliar “o que os autarcas têm para oferecer aos investidores”. “A Aicep tem um portfolio com intensões de investimento e a ideia é ver se podem ser relocalizadas para aquela região”, acrescentou a mesma.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Governo avança com mais 105 milhões para apoiar empresas após os incêndios

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião