MLGTS e PLMJ no top em arbitragem pela Who’s Who Legal

Seis advogados de dois dos maiores escritórios de advogados estão referenciados no diretório que distinguiu 13 portugueses.

Três advogados da MLGTS – Filipe Vaz Pinto, Miguel Almada e Sofia Vaz Sampaio – e três da PLMJ – José Miguel Júdice, Filipa Cansado Carvalho e Mariana França Gouveia – foram distinguidos pelo diretório Who’s Who Legal na área da arbitragem.

Na lista – no total – estão 13 advogados portugueses referenciados pelo diretório Who’s Who Legal – que apresenta os principais advogados em várias áreas de atividade desde 1996, baseando-se numa investigação independente que tem em conta colegas de profissão e clientes.

Veja a lista completa (pela ordem escolhida pelo diretório):

  • Manuel Barrocas – Barrocas Advogados
  • Filipa Cansado Carvalho – PLMJ
  • Mariana França Gouveia – PLMJ
  • Ricardo Guimarães – Linklaters
  • Duarte G Henriques – BCH Advogados
  • José Miguel Júdice – PLMJ
  • Nuno Ferreira Lousa – Linklaters
  • Sofia Martins – Miranda & Associados
  • Filipe Vaz Pinto – Morais Leitão, Galvão Teles, Soares da Silva & Associados
  • Joaquim Shearman de Macedo – CMS Rui Pena & Arnaut
  • Pedro Sousa Uva – Miranda & Associados
  • Sofia Vaz Sampaio – Morais Leitão, Galvão Teles, Soares da Silva & Associados
  • Miguel de Almada (na foto) – Morais Leitão, Galvão Teles, Soares da Silva & Associados

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

MLGTS e PLMJ no top em arbitragem pela Who’s Who Legal

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião