Revista de imprensa internacional

  • Marta Santos Silva
  • 29 Novembro 2017

Uma demissão chave na bolsa londrina, obstáculos ultrapassados para uma nova lei fiscal nos EUA e uma mudança de política que se avizinha no Banco do Japão são algumas das notícias essenciais do dia.

No dia em que o lançamento de mais um míssil balístico pela Coreia do Norte domina as manchetes mundiais, uma demissão na Bolsa de Londres e avanços no plano fiscal dos republicanos norte-americanos também prometem abanar os mercados. Conheça aqui cinco notícias que marcam a imprensa internacional.

Bloomberg

CEO da Bolsa de Londres demite-se

Xavier Rolet, CEO da Bolsa de Londres (LSE na sigla inglesa) anunciou esta quarta-feira a sua demissão do posto, seguindo o pedido do quadro dos executivos. Após uma discussão interna sobre a permanência de Xavier Rolet, o executivo decide agora sair de imediato do lugar. “O anúncio da minha partida futura gerou muita publicidade indesejada que não foi boa para a empresa”, afirmou Rolet. “Não regressarei ao lugar de CEO ou diretor sob nenhumas circunstâncias”. Leia a notícia completa na Bloomberg. (Conteúdo em inglês / Acesso gratuito)

The New York Times

Plano fiscal dos republicanos ultrapassa obstáculos

Os republicanos no Senado norte-americano têm visto progressos com a sua reforma fiscal. Um dos supervisores que deve aprovar o plano deixou passar a proposta dos republicanos, e vários senadores que se pensava virem a rejeitá-la deram a sua luz verde. Finalmente, esta reforma fiscal de que Trump fala desde que foi eleito parece começar a ganhar forma. “Acho que vamos conseguir aprová-la”, disse o presidente Donald Trump na terça-feira. “O resultado final vai ser um corte de impostos enorme, mesmo enorme, o maior na história do nosso país”. No entanto, o plano tem detratores que consideram que vai resultar em aumentos de impostos para a maioria e em cortes para os mais ricos. Leia a notícia completa no New York Times. (Conteúdo em inglês / Acesso condicionado)

Expansión

BBVA vende imobiliário à Cerberus por 4.000 milhões

O banco espanhol BBVA decidiu vender o seu negócio imobiliário ao fundo Cerberus, para procurar reduzir o seu risco de exposição ao setor. O fundo norte-americano vai controlar 80% do capital da empresa, que tem uma carteira de 13 mil milhões de euros em ativos, enquanto o BBVA vai manter 20% do capital. Leia a notícia completa no Expansión. (Conteúdo em espanhol / Acesso gratuito)

Reuters

Banco do Japão pretende imitar Fed na mudança de política

O vice-Governador do banco central japonês, Hiroshi Nakaso, afirmou esta quarta-feira que o Banco do Japão deverá começar a sair suavemente da política monetária que tem mantido até agora, e que tem um bom exemplo na Reserva Federal dos Estados Unidos. “O BOJ pode aprender muito com a experiência da Fed”, afirmou num seminário, já que a Fed tem vindo a aumentar as taxas de juro a pouco e pouco. “As ferramentas que vamos usar e a sequência em que o faremos vão depender das condições económicas e financeiras no momento”. Leia a notícia completa na Reuters. (Conteúdo em inglês / Acesso gratuito)

Wall Street Journal

Siemens prepara IPO da sua unidade de saúde

A Siemens prepara-se para dar mais um passo na sua restruturação, ao dar entrada na bolsa do seu negócio de cuidados de saúde, com um valor estimado em cerca de 40 mil milhões de euros. O IPO deverá ser mais detalhado esta quarta-feira, sendo que a empresa favorece a bolsa de Frankfurt. Prevê dispersar cerca de 15% a 25% da empresa que produz e vende equipamentos e serviços de diagnóstico e de serviços médicos. A oferta deverá ser lançada em meados de 2018. Leia a notícia completa no Wall Street Journal. (Artigo em inglês / Acesso condicionado)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Revista de imprensa internacional

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião