Santander trava na F1 para marcar golos na Liga dos Campeões

Banco espanhol vai deixar de patrocinar a Ferrari a partir da próxima época, passando a ser o patrocinador principal da Liga dos Campeões da UEFA nas próximas três temporadas.

O Santander será o novo patrocinador oficial da Liga dos Campeões, a principal prova europeia de clubes organizada pela UEFA. O acordo de patrocínio terá a duração de três épocas. Não foram revelados valores do negócio, mas o seu anúncio foi revelado no mesmo dia em que o banco espanhol informou oficialmente que vai deixar de patrocinar a Ferrari, na Formula 1.

A parceria entre Santander e Champions League foi tornada pública esta quarta-feira, quando foi firmado o acordo de sponsorship numa cerimónia no Brasil e que contou com a presença de Ana Botín, presidente do Santander, e antigo jogador brasileiro Ronaldo, o “Fenómeno”.

O patrocínio entra em campo a partir da próxima época e terá a duração de três temporadas, até 2020/2021.

“Este patrocínio faz todo o sentido não só a nível global mas para o nosso país. Em Portugal existe uma muito forte ligação ao futebol e à Champions”, declarou António Vieira Monteiro, presidente executivo do Santander Totta. “O futebol move multidões e será claramente um meio de estarmos ainda mais próximos dos nossos clientes e continuarmos a ser um banco de referência no apoio às famílias e às empresas”, adiantou.

"Este patrocínio faz todo o sentido não só a nível global mas para o nosso país. Em Portugal existe uma muito forte ligação ao futebol e à Champions. O futebol move multidões e será claramente um meio de estarmos ainda mais próximos dos nossos clientes e continuarmos a ser um banco de referência no apoio às famílias e às empresas.”

António Vieira Monteiro

Presidente executivo do Santander Totta

Com esta decisão, o Santander muda de estratégia relativamente ao seu posicionamento de marketing no desporto, passando a apostar no futebol em vez do desporto motorizado.

Segundo a imprensa espanhola, o banco espanhol vai deixar de ser o patrocinador principal da escuderia de Formula 1 Ferrari, depois de ter rejeitado renovar o contrato de 35 milhões de libras para continuar como sponsor de destaque na marca italiana.

Havia a indicação de que o Santander poderia manter-se como patrocinar mais secundário, mas a decisão do banco foi de cortar todas as ligações que tinha com a Ferrari desde 2010. Foi nesse ano que começou a relação com a escuderia aquando da contratação do piloto espanhol Fernando Alonso, que atualmente trabalha na McLaren.

Sendo assim, com a aposta na Champions League, o Santander tenta aumentar a sua notoriedade onde a prova tem enorme audiência: Europa e América. “A final da competição é o evento desportivo anual mais seguido do mundo, com uma audiência em direto superior a 160 milhões de pessoas. A competição tem mais de 100 milhões de seguidores nas redes sociais”, refere o Santander em comunicado.

O Santander terá direito a uma ampla presença em outdoors em todos os jogos, anúncios em retransmissões de jogos, além de bilhetes e acesso a experiências para uso comercial, entre outras coisas.

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

Santander trava na F1 para marcar golos na Liga dos Campeões

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião