Secretário de Estado e presidente da Raríssimas demitem-se

  • ECO
  • 12 Dezembro 2017

A presidente da Raríssimas confirmou que vai abandonar o cargo. Rosa Zorrinho é a nova secretária de Estado da Saúde, com Manuel Delgado de saída do Governo na sequência do caso polémico.

Após a polémica, a presidente da Raríssimas apresentou a demissão, avançou o Expresso. O caso já fez mais baixas: o Secretário de Estado da Saúde está de saída do Governo e será substituído por Rosa Zorrinho, segundo o Público.

“A minha presença já está a afetar a instituição e tenho de sair. Esta é uma cabala muito bem feita”, diz a presidente da Raríssimas, Paula Brito e Costa, ao Expresso, acerca das acusações e gestão danosa das quais é alvo. “Saio e não sei quem fica“, afirma.

A demissão não foi contudo a primeira opção. “Pedi-lhe (ao ministro) a suspensão temporária de funções enquanto estivessem a decorrer as investigações, porque temos 300 meninos por dia na Raríssimas de quem é preciso cuidar. Esta opção foi estudada pelo gabinete, mas não existe a figura da suspensão temporária no quadro das IPSS e, portanto, saio“, conta Paula Brito e Costa.

O secretário de estado estará de saída dado as ligações que lhe são apontadas à polémica organização. Manuel Delgado foi consultor da Raríssimas entre 2013 e 2014 e recebeu um total de 63 mil euros pela colaboração.

Rosa Zorrinho, vai tomar esta terça-feira às 19h30 no Palácio de Belém. A nova secretária de Estado tem 53 anos e desde 2011 que era presidente da Sociedade Gestora de Recursos e Equipamentos de Saúde dos Açores (Saudaçor). Também já foi presidente do conselho diretivo da Administração Regional de Saúde do Alentejo, entre 2005 e 2011, e administradora no Hospital do Espírito Santo, em Évora, entre 1990 e 1996.

A primeira reação veio da parte do PCP, na voz da deputada Paula Santos. “A situação da Raríssimas mostra que o que garante a qualidade é a gestão pública. Lógicas de privatização não são a melhor solução para garantir condições aos utentes.

(Notícia em atualização)

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

Secretário de Estado e presidente da Raríssimas demitem-se

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião