Jerónimo Martins contraria queda do BCP. Lisboa sobe

  • Ana Batalha Oliveira
  • 10 Janeiro 2018

Jerónimo Martins e Galp são as cotadas que permitem ao índice nacional seguir a negociar no verde. Já o BCP empurra o índice no sentido oposto, depois de se destacar pela valorização dos últimos dias.

O PSI-20 reforçou esta quarta-feira a trajetória positiva das últimas semanas. Depois de um arranque negativo, segue a valorizar, ainda que timidamente. Os ganhos modestos resultam do equilíbrio de forças entre dois dos gigantes da bolsa: a Galp puxa o índice acima da linha de água apesar das quebras do BCP.

A praça lisboeta abriu abaixo da linha de água, com uma quebra de 0,05% para os 5.651,65 pontos, mas rapidamente inverteu a tendência para subir 0,06%. Os analistas do BPI previam “variações modestas”, num dia em que os índices europeus não apresentam uma “tendência definida”.

Jerónimo Martins e Galp são as cotadas que permitem que o índice nacional siga a negociar no verde. A empresa de Soares dos Santos regista uma subida de 0,92% para os 16,95 euros. A Galp vê um aumento de 0,44% para atingir os 15,91 euros por título.

O BCP é o “peso pesado” que mais pesa negativamente no índice. Cai 0,40% para os 30,15 cêntimos por ação, depois da recente valorização que distinguiu o banco de Nuno Amado como a cotada de melhor desempenho em 2018. Desde o início do ano, já valorizou mais de 10%.

A Mota-Engil é a cotada que apresenta a maior descida, desvalorizando acima de 1% para os 3,94 euros por ação. Em dias de glória para o petróleo, a EDP Renováveis é a energética com pior performance, caindo 0,72% para os 6,92 euros. O barril de Brent está a cotar acima dos 69 dólares.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Jerónimo Martins contraria queda do BCP. Lisboa sobe

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião