Governo aprova nomes para direção do INE. Falta parecer da CReSAP

  • Lusa
  • 11 Janeiro 2018

O Governo aprovou em Conselho de Ministros os novos nomes para a direção do Instituto Nacional de Estatística (INE). Só falta o parecer da CReSAP.

O Conselho de Ministros aprovou esta quinta-feira os nomes dos novos membros do Conselho Diretivo do Instituto Nacional de Estatística (INE), organismo que passa a ser presidido por Francisco de Lima. Segundo o comunicado do Conselho de Ministros, o Governo procedeu às nomeações de “Francisco Gonçalves de Lima, Carlos Manuel Matias Coimbra e Maria João Tavares Zilhão, respetivamente, para os cargos de presidente e vogais” do INE.

O novo presidente escolhido pelo Governo vai substituir Alda Carvalho que estava à frente do INE há 12 anos e cujo mandato terminou em 31 de dezembro, à beira de completar 70 anos, o limite de idade para exercer funções públicas, explicou fonte da Presidência do Conselho de Ministros (PCM) à Lusa na semana passada.

Na altura, a PCM adiantou que o novo Conselho Diretivo iniciará funções quando for obtido o parecer da Comissão de Recrutamento e Seleção da Administração Pública (CReSAP) “e quando estiverem concluídas as demais formalidades legais necessárias”. Após a saída de Alda Carvalho, a gestão do instituto está a ser assegurada pelos restantes membros atuais do Conselho Diretivo até à nomeação dos novos responsáveis.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Governo aprova nomes para direção do INE. Falta parecer da CReSAP

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião