Resultados das cotadas puxam por Wall Street. Dow Jones em máximos

As cotadas norte-americanas continuam a mostrar resultados que superam as expectativas. A confiança dos investidores levou o Dow Jones a registar um máximo no início da sessão.

A época de resultados continua a marcar a tendência positiva dos mercados norte-americanos. Wall Street abriu em terreno positivo depois da gigante General Electric ter revelados os resultados trimestrais. Apesar de ter prejuízos de dez mil milhões de dólares, os resultados negativos foram melhores face ao que tinha sido anunciado previamente.

O Dow Jones abriu a sessão desta quarta-feira a valorizar 0,4% para os 26.316,16 pontos — atingindo um máximo –, seguido pelo Nasdaq com uma subida de 0,25% para os 7.479,31 pontos e o S&P 500 com uma valorização de 0,22% para os 2.839,13 pontos.

A General Electric revelou os resultados que, apesar de negativos, ficaram acima das expectativas dos mercados. “Os resultados foram ligeiramente melhores face ao que [os investidores] Wall Street estava a recear“, afirmou Robert Pavlik, o analista da SlateStone Wealth, à Reuters. Na negociação anterior à abertura dos mercados as ações da empresa estavam a subir.

Além disso, segundo a CNBC, cotadas como a Abbott Laboratories, United Technologies, Baker Hughes e a irmã da NBC Universal, a Comcast, divulgados resultados trimestrais que superaram as estimativas dos analistas. Até ao momento, 77% das empresas da S&P 500 revelaram resultados melhores face ao esperado.

Contudo, há uma cotada a desvalorizar face à decisão da Comissão Europeia de a multar em 997 milhões de euros. É o caso da Qualcoom cujas ações estão a cair 0,61% para os 67,94 dólares por título. A decisão europeia foi comunicada esta quarta-feira pela comissária europeia para a Concorrência: “A Qualcomm bloqueou ilegalmente os rivais do mercado dos LTE baseband chipsets por cinco anos, consolidando, consequentemente, a sua posição dominante“, disse Margrethe Vestager. Em causa estão pagamentos ilegais à Apple — também ela multada pela Comissão recentemente — cujas ações estão a cair 1,22%.

Segundo a Reuters, o dólar continua em queda esta quarta-feira e atingiu um mínimo de três anos depois do secretário do Tesouro norte-americano, Steven Mnuchin, ter revelado que os EUA estão agradados com a desvalorização da moeda. A tarifa imposta por Donald Trump nas importações de máquinas de lavar roupa e nos painéis solares esta segunda-feira contribuiu também para esse efeito.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Resultados das cotadas puxam por Wall Street. Dow Jones em máximos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião