Ryanair deixa o alerta: pode ter de cancelar mais voos

Depois de cancelar centenas de voos devido à má gestão das férias dos pilotos, a Ryanair alertou que, enquanto negoceia o reconhecimento dos sindicatos, pode registar disrupções pontuais de serviço.

A Ryanair reportou lucros de 106 milhões de euros entre outubro e dezembro de 2017.Armando Babani / EPA

A Ryanair admitiu esta segunda-feira que poderão existir novas e pontuais disrupções de serviço por parte da companhia aérea, depois de decidir reconhecer oficialmente um sindicado de 600 pilotos no Reino Unido e estar a ponderar fazer o mesmo para as hospedeiras e os comissários de bordo. Nos meses após o verão, a empresa foi obrigada a cancelar centenas de voos e a deixar em terra 25 aviões na sequência de uma má gestão das férias dos pilotos, situação que acabou por manchar a imagem da low-cost irlandesa.

“À medida que concluímos as conversações sindicais em traços semelhantes aos acordados no Reino Unido, esperamos algumas disrupções de serviço localizadas e mediatismo adverso, pelo que os investidores deverão estar preparados para o mesmo”, admitiu a Ryanair esta segunda-feira, em declarações citadas pela BBC (conteúdo em inglês). A decisão de reconhecer um sindicato britânico veio impedir novos problemas na companhia aérea, evitando uma greve dos pilotos na altura do Natal.

Apesar desta complexidade nas relações laborais no seio da Ryanair, o cancelamento de centenas de voos após o verão, que também foram registados em Portugal, não impediu a empresa de registar um crescimento dos lucros no trimestre concluído em dezembro (que é o terceiro trimestre fiscal para a empresa).

A Ryanair registou uma subida homóloga de 12% no resultado líquido, de 95 milhões de euros entre outubro e dezembro de 2016 para 106 milhões de euros no mesmo período de 2017. Contas feitas, representa um lucro de 0,0893 euros por ação. No trimestre, a companhia obteve receitas na ordem de 1,405 mil milhões de euros e transportou 30,4 milhões de passageiros.

A empresa aproveitou a apresentação de resultados para fazer um aviso. Segundo o presidente executivo da empresa Michael O’Leary, citado pela CNBC (conteúdo em inglês) os investidores não deverão assumir que os fortes desempenhos recentes registados por muitas companhias aéreas de curta distância vão continuar no período chave do próximo verão.

Numa nota enviada à comunicação social, o presidente executivo da Ryanair afirmou também: “Temos prazer em reportar este aumento de 12% nos lucros durante um terceiro trimestre (outubro a dezembro] bastante desafiante. Na sequência da nossa falha nas escalas dos pilotos em setembro, a decisão de manter 25 aviões em terra assegurou que a pontualidade das nossas operações rapidamente voltaram à nossa média normal de 90%.”

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Ryanair deixa o alerta: pode ter de cancelar mais voos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião