Mesmo com inflação em alta, Wall Street acelera

  • Marta Santos Silva
  • 14 Fevereiro 2018

Os investidores ignoraram os dados da inflação que fizeram a bolsa de Nova Iorque abrir a cair. Empresas como a Amazon, o Facebook e a Apple puxaram pelos índices.

As praças norte-americanas recuperaram da abertura no vermelho. Os três principais índices valorizaram com a ajuda de cotadas tecnológicas como o Facebook, a Amazon e a Apple, apesar de dados da inflação que pareceram assustar os investidores ao início do dia.

O S&P 500, índice de referência de Wall Street, subiu 1,3% para os 2.699,67 pontos, e o índice tecnológico Nasdaq não se ficou atrás, ganhando 1,86% para chegar aos 7.143,61 pontos. O industrial Dow Jones avançou também mais de 1%, chegando aos 24.893,49 pontos.

A inflação nos Estados Unidos foi divulgada esta quarta pelo Departamento do Trabalho, excluindo a energia e os alimentos, e mostrava uma subida de 0,3% em janeiro, mais do que era esperado pelos economistas consultados pela Reuters.

No entanto, os investidores parecem ter conseguido ultrapassar o dado que habitualmente assusta os mercados. “Há alguma inflação, mas não é muita”, disse Bruce Bittles, chefe da estratégia de investimento na consultora Robert W. Baird & Co. à Reuters. “As pessoas ficaram demasiado pessimistas”.

As tecnológicas mais fortes de Wall Street, o Facebook, a Apple e a Amazon, subiram de expressiva esta tarde: o Facebook avançou mais de 3% e as outras duas cotadas subiram mais de 1%. Juntamente com o Netflix e a Alphabet, dona da Google, as cinco tecnológicas deram grande parte do empurrão na bolsa nova-iorquina.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Mesmo com inflação em alta, Wall Street acelera

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião