Há um ano que a atividade económica não crescia tão pouco

  • ECO e Lusa
  • 16 Fevereiro 2018

Dados do BdP mostram que a atividade económica e o consumo privado não cresciam tão pouco desde fevereiro e janeiro do ano passado, respetivamente. Crescimento da economia está a abrandar.

A atividade económica e o consumo privado diminuíram em janeiro, de acordo com os indicadores coincidentes divulgados esta sexta-feira pelo Banco de Portugal. Do lado da atividade económica, o crescimento registado foi o mais lento desde fevereiro de 2017, enquanto o consumo privado evoluiu à taxa mais baixa desde janeiro do ano passado.

De acordo com os dados revelados pelo Banco de Portugal (BdP), o indicador de atividade económica evoluiu a uma taxa de 2,4% em janeiro, prolongando a trajetória descendente observada desde setembro. Já o indicador coincidente mensal para o consumo privado diminuiu pelo terceiro mês consecutivo dos 2,1% de dezembro para os 2,0% em janeiro do ano passado.

Variações homólogas dos indicadores desde 2006

Fonte: Banco de Portugal

Os indicadores coincidentes são indicadores compósitos que procuram captar a evolução subjacente da variação homóloga do respetivo agregado macroeconómico. Os números mostram, em suma, que o crescimento da economia tem vindo a abrandar e que essa tendência se deverá manter.

Uma tendência que já era antecipada pelas próprias autoridades nacionais e europeias. Em 2017, a economia portuguesa cresceu 2,7%, como foi revelado esta semana, e o Governo prevê um crescimento entre 2,3% e 2,4% este ano. No entanto, a confirmar os dados está também o facto de a economia ter abrandado o ritmo de crescimento em cadeia no quarto trimestre de 2017, de 2,5% para 2,4%, como demonstram os dados do INE divulgados esta semana

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Há um ano que a atividade económica não crescia tão pouco

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião