Os nomes de Rio para a direção do PSD

A equipa está anunciada. A lista, que tem ainda de ir a votos, tem nomes como Nuno Morais Sarmento e David Justino. Feliciano Barreiras Duarte será o secretário-geral.

Rui Rio anunciou a sua equipa este sábado. A comissão permanente nacional será composta por David Justino, Nuno Morais Sarmento, Salvador Malheiro, Elina Fraga, Isabel Meirelles e Castro Almeida. Feliciano Barreiras Duarte será o secretário-geral do PSD.

David Justino foi o responsável pela moção de estratégia global de Rui Rio. Já Nuno Morais Sarmento foi o mandatário da sua campanha interna. Salvador Malheiro foi o seu diretor de campanha. Os vogais da comissão política serão André Lima, Carvalho Martins, Maló de Abreu, António Topa, Cláudia André, João Cunha e Silva, Manuel Teixeira, Maria Graça Carvalho, Ofélia Ramos e Rui Rocha.

Pedro Santana Lopes é o cabeça de lista ao conselho nacional. “Não foi difícil chegarmos os dois a um acordo”, disse Rui Rio, referindo que “o menos fácil encaixar muitos nomes em poucos nomes”. Bruno Coimbra, Salvador Malheiro, João Montenegro foram alguns dos negociadores a quem Rio agradeceu.

Os restantes nomes são Paulo Rangel, Arlindo Cunha e José Matos Rosa — nomes indicados por ambos. Paulo Cunha, Vítor Martins, Telmo Faria, Paulo Ribeiro, Rodrigo Gonçalves, Cláudia Monteiro de Aguiar, Sara Madruga da Costa são outros dos nomes.

O presidente da mesa do congresso será Paulo Mota Pinto, seguido de Almeida Henrique, presidente da câmara de Viseu. O conselho de jurisdição será liderado por Nunes Liberato. A lista da Comissão Nacional de Auditoria Financeira é encabeçada por Catarina Rocha Ferreira. As eleições para os órgãos sociais do PSD realizam-se este domingo de manhã.

(Notícia atualizada)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Os nomes de Rio para a direção do PSD

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião