Barroso prometeu, mas não cumpriu. Fez lóbi pelo Goldman Sachs em Bruxelas

  • Marta Santos Silva
  • 20 Fevereiro 2018

O ex-presidente da Comissão Europeia comprometera-se a não fazer lóbi pelo banco de investimento Goldman Sachs junto das autoridades europeias, mas há agora prova de que o fez. Esteve com Katainen.

Durão Barroso, contra a promessa que fizera quando aceitou um lugar no Goldman Sachs pouco depois de deixar de ser dirigente da Comissão Europeia, fez lóbi pelo banco de investimento junto de um comissário europeu, confirmou o comissário Jyrki Katainen, do campo do Emprego e do Crescimento.

“De facto, encontrei-me com o Dr. Barroso da Goldman Sachs no Hotel Silken Berlaymont em Bruxelas, a 25 de outubro de 2017″, escreveu o comissário numa carta revelada esta terça-feira, como resposta a uma questão da organização sem fins lucrativos Corporate Europe Observatory, que se dedica em especial à vigilância do lóbi.

Segundo Katainen, citado no site europeu EU Observer, o encontro foi apenas entre o comissário e o antigo presidente da Comissão Europeia e atual chairman do banco Goldman Sachs, e os temas debatidos foram “de comércio e defesa”.

Em 2016, pouco mais de um ano depois de ter deixado de presidir a Comissão Europeia, Durão Barroso começou a trabalhar com o banco de investimento norte-americano Goldman Sachs, o que não passou sem controvérsia. No entanto, o Comité de Ética Ad-Hoc criado para analisar o caso concluiu que o dirigente não violou regras de ética da União Europeia, embora tenha assinalado que não fez uma decisão sensata “como se esperaria de alguém que manteve durante tantos anos o alto cargo que ele ocupou”.

O Comité também registou “o compromisso de Barroso de não fazer lóbi em nome da Goldman Sachs”, numa carta enviada ao comité. Numa outra carta, Barroso prometeu também a Jean-Claude Juncker, o seu sucessor, que não o faria: “Não fui contratado para fazer lóbi em nome da Goldman Sachs e não tenciono fazê-lo”.

Katainen afirma que não existem registos do que foi falado no encontro, porque não tirou apontamentos, já que não é seu hábito. Existe um registo de que a reunião aconteceu na agenda do comissário, mas sem o nome de Barroso: indica apenas que Katainen se encontrou com o Goldman Sachs Group.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Barroso prometeu, mas não cumpriu. Fez lóbi pelo Goldman Sachs em Bruxelas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião