Quer comprar Bitcoin sem pagar comissões? Robin dos Bosques chegou

  • ECO
  • 23 Fevereiro 2018

Robinhood permite comprar e vender criptomoedas sem exigir qualquer taxa adicional. Comparativamente, a Coinbase aplica comissões de 1,5% a 4% sobre cada transação.

Depois de se ter consagrado a plataforma de compra e venda de critptomoedas mais popular do mundo, a Coinbase terá agora de enfrentar uma nova concorrente. A Robinhood — aplicação que possibilita a negociação sem custos de ações — chegou, esta sexta-feira, ao mercado das moedas digitais e traz na bagagem uma vantagem digna do herói mítico do século XII que lhe dá nome: não aplica comissões às transações (a Coinbase fica com 1,5% a 4% dos valores envolvidos em cada operação).

A Robinhood permite aos seus utilizadores comprarem e venderem sem qualquer taxa adicional 13 destas moedas digitais, nomeadamente a famosa Bitcoin e a Ethereum. Por enquanto, está apenas disponível na Califórnia, Massachusetts, Missouri, Montana e Nova Hampshire, mas o objetivo da empresa é estender os seus serviços à maior parte do país liderado por Donald Trump, até ao final do primeiro semestre deste ano.

Fundada em 2013, a Robinhood tinha anunciado, no mês passado, a entrada no mercado das criptomoedas, recorda o TechCrunch. Só nos primeiros quatro dias, mais de um milhão de pessoas aderiram à plataforma, que viu, assim, o seu total de utilizadores subir para 4 milhões de euros. Com 13 milhões de utilizadores, a Coinbase continua, contudo, com uma vantagem significativa.

De acordo com a Bloomberg, não é certo quantas destas contas criadas na Robinhood representam uma migração com origem na Coinbase, existindo a possibilidade dos utilizadores manterem participações em ambas as plataformas.

As criptomoedas são meios de troca que utilizam tecnologia de blockchain e de criptografia para assegurar a validade das operações. Nos últimos meses, depois de um boom destas moedas digitais, as atenções têm estado viradas para a sua legitimidade, com Mario Daghi a pedir prudência e o Banco Mundial a comparar este fenómeno a um esquema Ponzi.

Depois de, em dezembro de 2017, ter duplicado o seu valor e atingido a marca dos 20 mil dólares, a Bitcoin — a rainha das criptomoedas — tem sofrido uma tendência de desvalorização. Esta sexta-feira, está a valer cerca de dez mil dólares.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Quer comprar Bitcoin sem pagar comissões? Robin dos Bosques chegou

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião